Santa Catarina está com filas de espera nos leitos de UTI

Estado informa que a procura por atendimento pediátrico vem sofrendo alta demanda por conta da sazonalidade

Foto: Arquivo/TN

- PUBLICIDADE -

Letícia Ortolan
Criciúma

Sem leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) disponíveis, crianças aguardam por vagas no Estado. Em Criciúma, a influenciadora Marília Gabriela Furlan, precisou internar o filho na Unimed na madrugada de ontem, pois o Hospital Materno-Infantil Santa Catarina (HMISC) estava lotado. Caetano, de dois meses, foi diagnosticado com bronquiolite, uma doença caracterizada por causar problemas respiratórios graves.

- PUBLICIDADE -

> Clique aqui e receba as principais notícias do sul catarinense no WhatsApp

A falta de leitos de UTI para crianças vem acontecendo desde abril. De acordo com a Secretaria de Estado da Saúde de Santa Catarina, a procura por atendimento pediátrico vem sofrendo alta demanda por conta da sazonalidade, o que desencadeia um aumento significativo no número de pacientes com doenças respiratórias.

Marília foi para o hospital Unimed Criciúma, porque a fila do Hospital Santa Catarina estava grande. Ao chegar no legal, os médicos solicitaram que seu filho fosse internado na UTI. “No SUS não tinha vaga, tinha uma criança na frente e como ele não podia esperar, nós internamos ele no particular”, disse a influenciadora, acrescentando que está fazendo uma vaquinha online para conseguir pagar, já que cada diária custa R$ 10 mil.

Em nota, o HMISC declarou:                                                     

O Hospital Materno-Infantil Santa Catarina não está medindo esforços para conseguir atender toda a demanda terapêutica da melhor e mais rápida forma possível como sempre foi feito. Todavia, como é de conhecimento de todos, atualmente há uma alta demanda e uma falta generalizada de leitos de UTI neonatal e pediátrica em todo o Estado e não se trata de uma questão pontual do Hospital Materno-Infantil ou do município de Criciúma.

Em Turvo, Joaquim Gonçalves da Conceição, de três anos, também passa pela mesma situação. O menino que tem paralisia cerebral aguarda por uma vaga na UTI desde o último sábado (14). No noite de ontem, a Secretaria de Estado da Sáude informou que a transferência estava sendo preparada para ele ser recebido no hospital Nossa Senhora da Conceição, em Tubarão

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.