Polêmica com o reajuste dos servidores em Nova Veneza

Em assembleia dos trabalhadores foi aprovado aumento de 16,61% e projeto foi encaminhado ao Legislativo

Foto: Divulgação

- PUBLICIDADE -

José Adílio
Nova Veneza

O projeto de reajuste dos servidores de Nova Veneza será lido na sessão de amanhã. O projeto foi protocolado durante a semana que passou, depois que foi aprovado em assembleia dos trabalhadores. Os servidores reivindicam aumento de 20,05%, referente as perdas salariais dos anos de 2020, 2021 e 2022, porém foi aprovado a proposta encaminhada pelo prefeito Rogério Frigo de 16,61%.

- PUBLICIDADE -

> Clique aqui e receba as principais notícias do sul catarinense no WhatsApp

A presidente do Sindicato dos Servidores de Criciúma e Região (Sinserp) Jucélia Vargas, explica que no dia da assembleia para votação da proposta da prefeitura, compareceram quase 200 servidores, com o resultado ficando 110 favoráveis ao aumento concedido e 88 contrários. Com o resultado, o aumento de 16,61% foi aprovado e já foi encaminhado para a Câmara de Vereadores para ser apreciado e votado.

“Os servidores estão muito revoltados com a votação da assembleia, pois a Administração fez comparecer em grande número os servidores comissionados e conseguiu o resultado que queria, aprovando desta forma a proposta de 16,61%, um ponto percentual a mais do que a proposta anterior e que havia sido rejeitada”, explica Jucélia Vargas.

Concurso
O presidente da Câmara, Evandro Gava, explicou que com a aprovação da assembleia, a Câmara não tem mais o que fazer, pois já foi aprovado pelos trabalhadores. Ele explica que somente o INPC acumulado dos três anos foi de 25,59%, mas que a administração acenou somente com os 16,61%.

Segundo Gava, na prefeitura atualmente estão 206 servidores efetivos trabalhando e 188 servidores comissionados. “Está faltando concurso público e vamos ao Ministério Público exigir que o concurso seja realizado”, relata Gava.

Luta dos trabalhadores
Em Nova Veneza, o primeiro projeto encaminhado para a Câmara de Vereadores propôs 15,61%, que foi rejeitado na assembleia dos servidores e também pela Câmara, que devolveu para a prefeitura refazer os percentuais. Agora o prefeito encaminhou a proposta com 1% a mais, que também não satisfaz os trabalhadores, apesar de aprovada na assembleia. “Esta luta ainda não acabou, vamos continuar brigando por melhores salários e estaremos mais uma vez na sessão da Câmara de Vereadores nesta semana”, pontua Jucélia.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.