Pesquisa aponta vantagem de Lula sobre Bolsonaro

Levantamento foi feito por telefone entre os dias 22 e 24 de julho de 2022; foram entrevistados dois mil eleitores

Fotos: Antonio Cruz/Agência Brasil

- PUBLICIDADE -

José Adílio
Criciúma

Levantamento realizado pelo Instituto FSB Pesquisa e contratado pela empresa BTG Pactual e registrado no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), com o número BR-05938/2022, aponta que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) está na frente na pesquisa espontânea com 40%. O atual presidente Jair Messias Bolsonaro (PL) tem 30% e Ciro Gomes (PDT) aparece com 3%. Já não vota em nenhum candidato tem 6% e não soube responder 15%. Na pesquisa estimulada, Lula tem 44%, Bolsonaro 31%, Ciro Gomes 9%, Simone Tebet (MDB) 2%, André Janones (Avante) 2% e Pablo Marçal (Pros) 1%. Os outros nomes não somaram nenhum ponto percentual. Os que não votam em nenhum dos candidatos são 5%.

- PUBLICIDADE -

> Clique aqui e receba as principais notícias do sul catarinense no WhatsApp

Já os números do segundo turno apontam cenários favoráveis a Luiz Inácio Lula da Silva.
Caso Lula e Bolsonaro passem para o segundo turno, a vitória seria do petista, com 54%. O oponente teria 36%. Se fosse para o segundo turno com Ciro Gomes, Bolsonaro sairia derrotado com Ciro ficando com 49% e Bolsonaro com 38%. Já Lula venceria Ciro Gomes, com Lula ficando com 48% e Ciro com 32%.

A pesquisa foi realizada pelo Instituto FSB Pesquisa, por telefone (via CATI), entre os dias 22 e 24 de julho de 2022. Foram entrevistados 2.000 eleitores. A margem de erro é de 2 pontos percentuais, com intervalo de confiança de 95%. Para definição da amostra, o Instituto FSB Pesquisa controlou as seguintes cotas: sexo, idade, escolaridade, tipo de telefonia e DDD. Devido ao arredondamento, a soma dos percentuais pode variar de 99% a 101%.

Mudança de voto
Com relação a possibilidade de mudança do voto, apenas um em cada quatro brasileiros dizem que podem mudar de voto até o dia do 1º turno. Eleitores de Lula e Bolsonaro são os mais decididos. A possibilidade de mudança dos eleitores de Ciro e Tebet é o que pode mexer com a corrida eleitoral.

“Nas eleições de 2022, temos uma novidade. O eleitor nunca esteve tão decidido em quem votar, faltando pouco mais de dois meses antes da eleição. O percentual alto de 75% é um sinal da polarização eleitoral, que faz com que o eleitor antecipe suas escolhas, mesmo antes de a corrida presidencial se tornar oficial”, destaca André Jácomo, diretor do Instituto FSB Pesquisa.

Leia a matéria completa e com gráficos na edição do jornal impresso Tribuna de Notícias desta terça-feira, 26

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.