Jorginho Mello pretende integrar o Estado

Caso venha ser eleger governador, pré-candidato do PL quer tratar todas as regiões com igualdade

Foto: Gustavo Milioli/TN

- PUBLICIDADE -

Criciúma

O senador Jorginho Mello (PL) é pré-candidato ao Governo de Santa Catarina e tem como meta interligar o Estado trabalhando para que todas as regiões venham ser tratadas com igualdade para que todos os municípios alcancem o desenvolvimento esperado. Ele tem passado por todas as regiões neste período pré-eleitoral e já é conhecido em todo o Estado por ser senador, quando foi eleito em 2018 com mais de um milhão de votos. Neste fim de semana, Jorginho Mello fez roteiro pelo Sul do Estado, realizando encontros regionais no Extremo Sul Catarinense no sábado e na região Carbonífera na segunda-feira. “Procuro fazer um trabalho conjunto, tanto na parte administrativo levando recursos para os municípios e também político realizando os encontros regionais”, destaca o pré-candidato.

- PUBLICIDADE -

> Clique aqui e receba as principais notícias do sul catarinense no WhatsApp

Ele relata que teve uma candidatura ao governo de Santa Catarina programada, pois já trabalha para comandar o Estado desde 2018, quando foi eleito senador. “Mainha pré-candidatura não saiu de susto, tudo bem planejado”, garante. Ele falou que para ter condições de brigar pela vitória em outubro, primeiro ajudou a construir o partido, que cresceu muito nestes últimos anos e agora ficando consolidado com a filiação do presidente Jair Messias Bolsonaro. Atualmente, o PL conta com três deputados federais, sete deputados estaduais, a vice-governadora, 42 prefeitos e mais de 300 vereadores em Santa Catarina.

Plano de governo

O senador relata que o Plano de Governo está sendo construído a muitas mãos com a equipe responsável pela montagem ouvindo autoridades em todas as áreas. Ele avalia que o documento estará ponto até o fim do mês de junho, quando já estarão sendo realizadas as convenções. Ele pretende fazer o plano de governo oficial a ser apresentado e protocolado na Justiça Eleitoral e também elaborar uma cartilha a ser distribuída à população. Ele pretende trabalhar em conjunto com os municípios, pois se considera um municipalista, principalmente na distribuição de suas emendas, contemplando os municípios em seus pleitos.

Na assistência social, o pré-candidato aponta que o Estado tem 615 mil pessoas na linha da pobreza. “Isto não combina com Santa Catarina”, aponta.  Para estimular as pessoas a sair desta situação crítica e resgatar a autoestima destas pessoas vai estimular os municípios com programas sociais que trabalhem diretamente com estas famílias. “Precisamos chegar nestas pessoas e saber o que elas precisam e tentar dar qualificação com cursos profissionalizantes”, ressalta. Segundo ele, também precisa trabalhar com os conselheiros tutelares, que sabem o perfil da população.

Ainda dentro do plano de governo pretende melhorar a segurança pública equipando melhor a polícia. Também pretende fomentar o Turismo trabalhando o potencial do Sul de Santa Catarina e da região serrana. “Temos que potencializar os pontos fortes como por exemplo terminar a pavimentação da Serra da Rocinha que vai integrar o Rio Grande do Sul com Santa Catarina, melhorando a mobilidade da região”, expõe. Desta forma, ele pretende incentivar as pessoas que querem empreender. Também pretende incentivar o empreendedorismo criando linhas de crédito.

Coligações

O senador relata que vem conversando com todos os partidos que apoiam o presidente Jair Messias Bolsonaro e já está fechado com o PL. Ele vem mantendo contato com o senador Esperidião Amim e tem uma relação muito próxima com as principais lideranças progressistas. Na última semana, ainda manteve contato com Amim, quando decidiram continuar trabalhando na mesma linha como pré-candidatos ao Governo e decidindo a cabeça de chapa nas convenções. Como candidato ao Senado o partido tem o empresário e ex-secretário do Ministério da Pesca Jorge Seif. Já com relação ao MDB avalia que o partido está muito dividido, com uma ala querendo candidatura própria e outra querendo coligar com o governador. “Estamos mais próximos do PP e vamos trabalhar para estarmos juntos”, enfatizou.

Com relação as eleições presidenciais, acredita na reeleição do presidente Jair Messias Bolsonaro e avalia que a disputa vai ficar concentrada entre o presidente e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Perfil do pré-candidato

Jorginho Mello começou na vida pública aos 19 anos, quando foi eleito vereador pelo município de Herval D’oeste. Porém decidiu após o mandato seguir a carreira de bancário passando nos concursos da Caixa Econômica Federal e do Besc, optando por trabalhar no Besc por ficar no Estado. No ano de 1993 decidiu largar a carreira de bancário para voltar a política. Foi candidato a deputada estadual em 1994, em 1998, em 2002 e 2006, sendo eleito em todos os pleitos. No ano de 2010 foi candidato a deputada federal vindo a se reeleger em 2014. No ano de 2018 foi eleito senador e nesta eleição será candidato ao Governo de Santa Catarina. Ele é advogado formado pela Universidade do Sul de Santa Catarina (Unisul).

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.