Gean Loureiro perde ação na Justiça Eleitoral contra propaganda

O magistrado sugeriu que o candidato use o próprio espaço nos horários eleitorais gratuitos para contrapor as informações

Foto: Arquivo/ Divulgação

- PUBLICIDADE -

O ex-prefeito de Florianópolis e atual candidato ao Governo de Santa Catarina, Gean Loureiro (União Brasil), perdeu uma ação na Justiça Eleitoral na qual tentava censurar informações sobre escândalos enquanto comandava a Capital do Estado. Em um desses escândalos, Loureiro foi fotografado tendo relações sexuais, dentro da Prefeitura, com uma servidora – episódio que fez o juiz eleitoral Sebastião Ogê Muniz compará-lo a Bill Clinton.

> Clique aqui e receba as principais notícias do sul catarinense no WhatsApp

- PUBLICIDADE -

O ex-presidente americano respondeu a um processo de impeachment por manter relações sexuais com uma estagiária chamada Monica Lewinski, no interior da Casa Branca. Clinton se livrou do impeachment. Mas teve de encarar um julgamento público, sem se esconder.

“Vale referir que, nos Estados Unidos da América, em que o direito à intimidade é igualmente assegurado, o ex-presidente Bill Clinton respondeu a um processo de impeachment em razão de um relacionamento afetivo que manteve com uma estagiária da Casa Branca, nas dependências desta última. Se o direito de cada um dos personagens envolvidos à preservação de sua intimidade prevalecesse sobre a relevância política do ocorrido, o processo de impeachment não poderia ter sido aberto”, anotou o juiz.

Além do escândalo sexual, o comercial que Gean Loureiro tentou censurar mostrava sua prisão pela Polícia Federal e uma viagem que fez a Cancún, enquanto era Prefeito, no auge da pandemia. O juiz eleitoral manteve a decisão anterior, que havia negado a censura e liberado a publicação das informações, uma vez que são verdadeiras. Ao analisar mais um recurso de Loureiro, o magistrado sugeriu que o candidato use o próprio espaço nos horários eleitorais gratuitos para contrapor as informações.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.