Criciúma: vereador sugere construção de moradias

Pastor Jair Alexandre solicita que parte dos recursos da Câmara devolvidos ao executivo sejam destinados para este fim

Foto: Nilton Alves/TN

- PUBLICIDADE -

Criciúma

Na sessão da Câmara de Vereadores de ontem foi aberta uma discussão sobre as péssimas condições de moradias para muitas famílias da cidade e também a falta de casas, deixando muitas pessoas pagando aluguel, mesmo sem ter muitas condições. O vereador Jair Alexandre fez um requerimento ao Poder Executivo para a criação de um programa para que sejam feitas reformas nas casas das pessoas que moram de forma precária, como a construção de banheiros, colocação de pisos para as residências que ainda contam com chão batido e que consertem as frestas das casas, para que não entre frio.

- PUBLICIDADE -

> Clique aqui e receba as principais notícias do sul catarinense no WhatsApp

“A intenção é sugerir ao Poder Executivo para fazer a reforma das casas, ampliação ou até construções de novas. Podemos sugerir que parte da devolução da Legislativo seja usado para este fim, pois a administração precisa olhar mais para o social, e se por ano, a Câmara devolve R$ 10 milhões, claro que algum recurso deste poderia ser aplicado”, sugere o vereador. Muitas vezes a Defesa Civil interdita algumas casas e para isso é preciso de local para que as famílias possam morar.

Para a vereadora GeovanaMondardo, este é um problema que as vezes passa desapercebido quando é discutido o Plano Diretor. “Precisamos cobrar mais investimentos na área social”, aponta a vereadora. DailtonFeuser lembrou que no ano de 2018, quando esteve na Câmara aprovou um projeto para que o Poder Público pudesse receber doações da comunidade de materiais de construção, principalmente das famílias que construíram ou fizeram reformas e tiveram sobra de material. “Este projeto morreu, nunca foi para frente, morreu”, relata o vereador.

Aumento da Casan

Outro problema levantado pelo vereador Jair Alexandre é referente ao aumento na tarifa de água e esgoto anunciado pela Casan para começar a ser cobrada a partir do mês de julho. Ele alega que faltou atitude por parte da Agência Reguladora para questionar quem foi que construiu a planilha tarifária. “Fiquei surpreso, quando vi pela televisão, que a Casan iria dar aumento de 16,01% no valor da tarifa de água e esgoto”, destaca o vereador.

Ainda durante a discussão do requerimento no plenário, ele sugeriu a convocação do presidente do CIsan Sul para que venha na Câmara de Vereadores na próxima segunda-feira, dia 20. O vereador Toninho da Imbralit também é favorável a convocação do representante do Cisan Sul. “Realmente temos que nos mobilizar”, reforma Toninho da Imbralit.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.