Tubarão: Trem de Natal da FTC retorna tradicional “parada”

O apito do trem acompanhado da música 'Então é Natal', marca registrada da comitiva, anunciará a chegada de uma carga solidária às comunidades lindeiras

Foto: Divulgação

- PUBLICIDADE -

Durante a pandemia, o Projeto Social da Ferrovia Tereza Cristina (FTC), Trem de Natal, não realizou as paradas que permitem a interação com as comunidades. Mas, neste ano, nos dias 14 e 15 de dezembro, o Papai Noel e os voluntários da FTC, trocarão o trenó pela locomotiva e percorrerão, juntos, os 164 km de linha férrea, em 14 municípios.

 > Clique e receba as principais notícias do sul catarinense no WhatsApp

- PUBLICIDADE -

Embora seja uma ação já consolidada, a iniciativa se torna ainda mais especial com o passar do tempo. “A cada edição, uma emoção diferente. Em nenhum destes 25 anos em que eu participei foi igual. Pois tudo, sempre, foi feito com muito carinho às famílias lindeiras,” relembra o técnico de segurança da FTC e um dos idealizadores do projeto social, Marcelo Batista Cruz.

Para a tão aguardada 26ª edição, está confirmado o retorno da tradicional parada nos municípios cortados pela malha ferroviária. Além do contato mais próximo com a comunidade, uma lembrança educativa será distribuída entre as crianças cadastradas. O objetivo é levar diversão e, também, contribuir com o desenvolvimento socioemocional, cognitivo e motor das crianças contempladas pela ação.

O Trem de Natal faz parte do Programa de Responsabilidade Social da FTC, e visa levar o espírito natalino para as pessoas que moram próximas à linha férrea. Ao todo, 25 comunidades vão receber a visita do ilustre bom velhinho e dos voluntários ferroviários, trazendo muita felicidade para a época mais mágica do ano.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.