Soldado russo julgado na Ucrânia é condenado à prisão perpétua

Vadim Shishimarin, de 21 anos, admitiu em julgamento que matou um civil de 62 anos em meio à invasão russa no nordeste ucraniano

Foto: NATACHA PISARENKO/ASSOCIATED PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

- PUBLICIDADE -

Um tribunal de Kiev condenou nesta segunda-feira (23) um soldado russo de 21 anos à prisão perpétua por ser considerado culpado de crimes de guerra, no primeiro veredicto na Ucrânia desde o início da invasão russa, que começou em 24 de fevereiro.

> Clique aqui e receba as principais notícias do sul catarinense no WhatsApp

- PUBLICIDADE -

O sargento russo Vadim Shishimarin admitiu durante o julgamento na última quinta-feira (19) que matou um civil de 62 anos nos primeiros dias da ofensiva russa no nordeste ucraniano.

“Sei que você não poderá me perdoar, mas, mesmo assim, peço perdão”, afirmou Shishimarin à esposa da vítima ao mesmo tempo que justificou seus atos como “ordens recebidas”.

O homem empurrava uma bicicleta enquanto falava ao telefone. O tribunal também declarou o jovem culpado por assassinato premeditado.

“O assassinato foi cometido com intenção direta”, disse o juiz Agafonov. “Shishimarin violou as leis e costumes da guerra”, acrescentou o magistrado.

O soldado ouviu o veredicto em ucraniano no banco dos réus. Um intérprete traduziu a sentença para o russo.

De acordo com o MP ucraniano, o país abriu mais de 12 mil investigações por crimes de guerra desde o início da invasão russa.

*Via R7

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.