Objetos de navio da 2ª Guerra são encontrados na Praia do Campeche

Historiador explica a utilidade do objeto que foi parar no litoral catarinense

Foto: Arquivo Pessoal/Divulgação/ND

- PUBLICIDADE -

Ana Luisa Correa Rodrigues, de 53 anos, achou nesta terça-feira, 27, objetos misteriosos na praia do Novo Campeche, em Florianópolis. Os itens eram usados em navios nazistas da 2ª Guerra Mundial, de acordo com Rodrigo Rosa, historiador da Fundação Catarinense de Cultura.

> Clique aqui e receba as principais notícias do sul catarinense no WhatsApp

- PUBLICIDADE -

“Eu estava caminhando pela manhã quando vi um volume grande na praia, com muitas cracas, dando a impressão de que era algo que estava no mar a muito tempo”, contou a moradora.

Ana Luisa acreditava se tratar de um pedaço de tronco, mas ao se aproximar viu que era algo “feito pelo homem”.

“Quando toquei percebi que era borracha, e me dei conta que era um fardo. Fui na internet e comecei a pesquisar, e achei algumas matérias sobre esses fardos que tem aparecido no litoral brasileiro”, contou.

Historiador explica material

Segundo o historiador Rodrigo Rosa, o material encontrado trata-se de látex. Ele era utilizado para fazer pneus e materiais flexíveis usados nos automóveis, por exemplo. A matéria-prima também servia para fazer armas e eletrodomésticos.

“O látex era um produto absolutamente portátil. Manaus, por exemplo, era uma cidade muito rica até os anos de 1920 em função desta matéria-prima que circulava”, explica o historiador.

O profissional confirma que o material encontrado é de um navio nazista. No entanto, não há registro desta mercadoria circulando nos portos do Sul do Brasil pois eles vinham ou saíam por portos da região Norte e Nordeste devido à localização estratégica da região.

“O formato e a textura são muito semelhantes com materiais já encontrados no Norte, o que nos faz perceber que são destes navios”, explicou.

O historiador acredita que os materiais vieram parar nas praias de Florianópolis pois algum navio da época pode ter afundado próximo da região e o material “vagou” por correntes marítimas.

 *Via ND+
-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.