Morro da Fumaça: Oito famílias estão desalojadas em decorrência da chuva

Todas permanecem no Centro de Múltiplo Uso, no bairro Esperança

Foto: divulgação

- PUBLICIDADE -

O número de desalojados pelas chuvas em Morro da Fumaça subiu para oito famílias. Todas permanecem no Centro de Múltiplo Uso, no bairro Esperança, até receberem a liberação da Defesa Civil Municipal para retornarem à moradia. O órgão atualizou a situação da cidade na manhã desta quinta-feira, 5.

> Clique aqui e receba as principais notícias do sul catarinense no WhatsApp

- PUBLICIDADE -

O Rio Urussanga e o Rio Linha Torrens se estabilizaram, mas os níveis seguem elevados e inspirando cuidados. Os bairros mais afetados continuam sendo o Picadão Paladini, Naspolini e Capelinha, além do distrito de Estação Cocal. Segundo Natan de Souza, coordenador da Defesa Civil, algumas famílias poderão retornar para suas casas já na tarde desta quinta-feira, caso a previsão de estabilidade do tempo se concretize.

As duas famílias de Estação Cocal que estavam abrigadas no Salão Paroquial da Igreja Católica voltaram para as residências por volta das 16h desta quarta-feira. A Assistência Social do município afirma que, no momento, não está precisando de doações.

Bloqueios na pista

Duas estradas continuam interditadas em Morro da Fumaça por conta dos alagamentos: a Rodovia Gregório Espíndola (SC-443), no sentido ao município de Sangão, e a Fortunato Salvan, que liga ao Rio Vargedo, nas proximidades do limite com Treze de Maio. A Rodovia Tranquilo Sartor, na altura do bairro Linha Cabral, já foi liberada para o fluxo de veículos.

“Aquela água já não tem mais. Seguimos fazendo manutenção e drenagens nos pavimentos, arrumando as estradas conforme o tempo vai permitindo”, afirma Natan, que também responde pela pasta da Infraestrutura.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.