Morro da Fumaça: idosa realiza sonho de estudar, aos 67 anos

Atualmente aposentada, Salete veio de uma família pobre em que o estudo não era uma realidade, precisando abrir mão do que mais queria na vida

Maria Salete fazendo as atividades escolares. Foto: Nilton Alves.

- PUBLICIDADE -

Letícia Ortolon

Superação e força de vontade. As características descrevem a aposentada Maria Salete Apolinário, que aos 67 anos realiza o sonho de estudar. Natural de Morro da Fumaça, a idosa busca por conhecimento há pouco mais de um ano na rede municipal de ensino, por meio da Educação de Jovens e Adultos (EJA), oferecida para pessoas das mais diversas faixas etárias.

- PUBLICIDADE -

Salete veio de uma família pobre em que ir para a escola não era uma opção. Desde criança precisou trabalhar e abdicar daquilo que mais queria na vida: estudar. “Quando encontro alguém que já tem uma certa idade assim como eu, e diz que não sabe escrever, incentivo ir em busca do estudo, porque sei a falta que isso faz na nossa vida. Antes eu não podia nem ir no mercado sozinha”, explicou.

Quando ingressou no EJA, seu primeiro objetivo foi aprender a ler e escrever. Uma das dificuldades, além de não conseguir fazer compras sem alguém para instruir, era ir à igreja e não poder ler a Bíblia. Atualmente, já tendo o conhecimento do alfabeto e de algumas palavras, ela relata que sua meta é aprender a leitura 100% para subir no púlpito da igreja e interpretar o livro sagrado sem gaguejar.

Uma das suas maiores incentivadoras é a professora da classe, Sônia Regina Pirola Dagostim, de 53 anos. A educadora que passou a comandar a turma de Salete poucos meses depois do início das aulas, em 2021, aposta numa aprendizagem dinâmica e interativa com os componentes da Proposta Curricular do município.

“Eu adoro a minha professora pela paciência que ela tem com cada um dos alunos. Gosto muito de aprender e quando ganhamos atividades para fazer em casa, faço tudo sozinha. Por mais que hoje em dia exista a tecnologia, me forço a entender com as explicações da sala de aula. Não pego respostas prontas na internet porque sei que isso não vai me ajudar”, salientou a senhora.

Sensibilidade

Sônia é professora do EJA de Morro da Fumaça há um ano. Trata-se da sua primeira experiência com alunos adultos e idosos, a qual relata ser um ensinamento de vida. “Vejo pessoas das mais diversas realidades, alunos que realmente estão ali para estudar porque não tiveram uma oportunidade. Tenho alunas na faixa de 30, 40, 50 e 60 anos, todos em busca de aprender”, disse.

Graduada em Letras e Pedagogia e Pós-Graduada em Educação, Sônia diz que conta as horas para chegar na parte da noite e dar aula aos alunos do EJA. “Pra mim é uma realização estar com eles, são pessoas interessadas e o que precisam é de paciência, carinho e amor. Esse ano estamos trabalhando em projetos que vai melhorar ainda mais o ensino pra eles porque esse é o nosso objetivo”, indagou a professora.

Alfabetização de Jovens e Adultos

A Prefeitura Municipal de Morro da Fumaça, por meio da Secretaria do Sistema de Educação, abriu mais uma turma de Alfabetização de Jovens e Adultos do EJA. Qualquer morador da cidade, a partir dos 15 anos, pode ingressar, e não há restrição de idade máxima.

As aulas acontecem de segunda à quinta-feira, na sede da Escola Profissional Idalina Machado de Freitas, localizada no Centro, na Rua José Guglielmi. Mais detalhes podem ser obtidos junto à Secretaria do Sistema de Educação, por meio do telefone (48) 3434-6113.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.