Forquilhinha: Obra no aeroporto Diomício Freitas está paralisada

Prado & Prado não tem usina de asfalto e teria que terceirizar a última etapa do serviço

Foto: Nilton Alves/TN

- PUBLICIDADE -

Thais Borges/Especial
Forquilhinha

Um impasse está impedindo a conclusão da obra de revitalização do aeroporto Diomício Freitas, de Forquilhinha, de prosseguir. Segundo o prefeito José Cláudio Gonçalves, o Neguinho, a empresa responsável pela obra, a Prado & Prado, não quer continuar as melhorias. “Ela quer largar a obra. Não resolve largar. Se largar, vai ter que fazer um processo licitatório. Vai demorar muito tempo”, diz o prefeito. O empreendimento alega não ter usina de asfalto e que teria que terceirizar a última etapa do serviço, sendo que se comprometeu em executar o trabalho previsto na licitação. “Tem que fazer a parte asfáltica da pista. Custa em torno de R$ 2 milhões. Para comprar e fazer, tem que pagar os R$ 2 milhões adiantado. A empresa não tem usina de asfalto, então tem que terceirizar. A empresa não tem esse dinheiro”, complementa. Essa etapa de revitalização da pista é a última para concluir todo o serviço. O Governo do Estado está em dia com o pagamento dos valores destinados às melhorias do aeroporto.

- PUBLICIDADE -

Clique aqui e receba as principais notícias do sul catarinense no WhatsApp

Uma reunião está marcada para hoje, no aeródromo, com a participação do Governo do Estado, Prefeitura de Forquilhinha, empresa e empresários. O objetivo do encontro é apresentar propostas para resolver o problema. “Era para ser entregue em agosto desse ano, foi para novembro e agora ficou para fevereiro”, fala Neguinho sobre a conclusão das obras.

Foto: Nilton Alves/TN

Se de fato a empresa abandonar o serviço, ela será sujeita a pena de multa e incapacidade de participar de novas licitações por um período de dois anos. “Tem que tomar uma decisão. A obra não está sendo executada porque a empresa efetivamente não está honrando com as obrigações”, explica o secretário de Infraestrutura e Mobilidade de Santa Catarina, Thiago Vieira. “Ou a empresa volta (e não tem voltado), e se não voltar, vai ter a rescisão do contrato e tem que fazer nova licitação. Não tem outra saída a não ser essa”, complementa. A justificativa, de acordo com Vieira, é o preço do revestimento da pista. “Tem uma questão administrativa em relação ao valor do Cap (Cimento Asfáltico de Petróleo). Ela não tem conseguido honrar a proposta. Ela está abandonando a obra. Literalmente, é isso. Ela disse que não tem condições de executar”, finaliza.

Foto: Nilton Alves/TN

O coordenador regional Sul da Secretaria de Estado de Infraestrutura, Augusto César Sonego, relata que a obra está paralisada desde o final de novembro. “O que a empresa está alegando é que o preço do concreto asfáltico tava muito alto e que teria que fazer uma readequação dos preços. Isso já está sendo resolvido e acho que até o final do mês a gente vai retomar os trabalhos porque a obra está paralisada”, destaca.

Ordem de serviço

Foto: Nilton Alves/TN

O governador de Santa Catarina Carlos Moisés esteve em Forquilhinha no dia 28 de janeiro de 2022 e autorizou a ordem de serviço para as obras do aeroporto na ordem de R$ 12,9 milhões. Conforme divulgado pelo estado, os trabalhos no Diomício Freitas incluem recuperação asfáltica da pista de pouso e decolagem, taxiway, acesso aos hangares e do pátio de estacionamento das aeronaves, além de readequação da faixa de pista, cercamento e implantação de via de inspeção.

O projeto para a obra foi pago por empresários que usam o local para voos particulares.

Foto: Nilton Alves/TN

Futuro

Para o futuro do aeroporto, a expectativa é a volta dos voos comerciais, que durante muito tempo foram comuns no Diomício Freitas de Forquilhinha.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.