Criciúma: momentos de sociabilidade proporcionados pelo Centro do Idoso

Local conta com um novo espaço inaugurado em janeiro e contempla mais de mil pessoas

Foto: Nilton Alves/TN

- PUBLICIDADE -

Letícia Ortolan/Tribuna de Notícias
Criciúma

 

- PUBLICIDADE -

Com três meses de funcionamento desde a inauguração, o novo Centro de Convivência da Terceira Idade de Criciúma (CCTI) possui 2.459 atendimentos semanais e 9.836 mensais. No total, 1.002 idosos são contemplados com 16 oficinas, além de uma equipe multidisciplinar à disposição dos alunos. Adelir Damásio Coelho, de 73 anos, e a mãe, Maria de Lurdes Mendes Damásio, de 91 anos, são algumas das matriculadas no espaço, que funciona de segunda a sexta-feira.

> Clique aqui e receba as principais notícias do sul catarinense no WhatsApp

Localizado no Parque das Nações Cincinato Naspolini, o CTT, com mais de 1.540 metros de área, não só é um local de lazer destinado aos idosos, como também um espaço de cura. O centro representa um refúgio para dona Adelir, que ficou viúva há três anos. “Meu companheiro faleceu e eu estava me vendo aos prantos. Então, minha mãe, que já participava do Clube de Mães da Afasc [Associação Feminina de Assistência Social de Criciúma], me trouxe para conhecer”, destacou.

A história do CTT iniciou na Vila Olímpica, no Morro Cechinel, em 2012. Maria de Lurdes frequenta desde essa época. “Minha participação iniciou nos primeiros anos, sempre gostei. Quando vi minha filha triste pela perda do marido, carreguei-a junto comigo. Depois que começamos a participar das oficinas e ter contanto com várias pessoas, ela melhorou bastante. Esse lugar é muito importante para gente”, salientou a idosa.

A mãe e filha representam apenas dois exemplos, entre as mais de 1 mil pessoas que contam os dias para estar no CTT. As opções de oficinas disponíveis que despertam essa ansiedade nos matriculados são de: Teclado e Violão, Canto e Coral, Vivências, Bocha e Bolão, Inclusão Digital – Informática, Artesanato, Treinamento Funcional, Jogos de Mesa – Canastra, Truco, Dominó e Xadrez, Relaxamento Corporal, Alongamento, Ritmos, Ritmos de Salão, Ballet, Dança Coreográfica e Dança de Salão.

As oficiais acontecem no período matutino e vespertino, reunindo 10 turmas por dia. Cada uma delas possui cerca de 40 minutos e após a conclusão da aula, um café especial com biscoitos, bolachas, cucas, bolos e pães são oferecidos aos idosos.

Para Felipe Nogueira Pereira, professor do CTT há cinco anos, lidar com os idosos é sinônimo de aprendizado diário. “Sou formado em Educação Física e estou dentro desse programa desde 2017. Nossos alunos variam entre 60, 70, 80 e 90 anos. É gratificante conviver com eles e aprender através das suas histórias de vida”, disse.

Projetos do CTT

A Prefeitura Municipal de Criciúma, por meio da Fundação Cultural (FCC), e a Associação Feminina de Assistência Social de Criciúma (Afasc), promoveu um evento na tarde de ontem, com a imprensa e os idosos, para apresentar novos projetos direcionados ao público da terceira idade no município. A reunião contou com a apresentação do Projeto Circuito Cultural, visita nas salas e demonstração das oficinas especiais.

Entre as autoridades de Criciúma presentes estavam: Clésio Salvaro, prefeito; Ricardo Fabris, vice-prefeito; Adriana Salvaro, presidente de honra da Afasc e primeira-dama da cidade; Adriano Boaroli, diretor executivo da Afasc; Daniel Cipriano, coordenador do CTT; Nícola Martins, vereador e líder de governo da Câmara de Vereadores; e Zalmir Casagrande, presidente da Fundação Cultural do município (FCC).

A ideia de construir o novo CTT, inaugurado no dia 6 de janeiro deste ano, partiu da primeira-dama Adriana Salvaro, junto da vice-primeira-dama do município, Robinalva Ferreira. Segundo o prefeito, foi um desafio criar o espaço que atualmente é o maior da categoria em Santa Catarina. “Esse é um projeto para trazer o idoso, que tanto trabalhou para construir a cidade que temos. A gente já pensava que ele merece de fato”, disse acrescentando que “é um local de melhor acessibilidade para chegar e ir embora”.

“Temos oficinas durante toda a semana, só não é oferecido almoço”, acrescentou Adriana Salvaro. “Fico feliz de poder estar contribuindo com a melhora de vida deles [idosos]”, completou a presidente de honra da Afasc.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar
Em: Local conta com um novo espaço inaugurado em janeiro e contempla mais de mil pessoas

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.