Venda de veículos cai 24% em fevereiro em comparação à 2021

Expectativa é que as vendas aumentem em março com o IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) mais baixo

Foto: Arquivo TN

- PUBLICIDADE -

Letícia Ortolan

A venda de automóveis caiu significativamente em fevereiro deste ano, comparado ao mesmo mês em 2021. Trata-se de uma queda de 24%, que pode ser decifrada por vários fatores, como por exemplo, a alta da taxa da Selic (Sistema Especial de Liquidação de Custódia), definida em 10,57%.

- PUBLICIDADE -

Durantes os 28 dias do mês, 120,7 mil unidades de veículos foram vendidas. No ano passado, a soma foi de 158,2 mil, ou seja, uma redução de mais de 37,5 mil automóveis negociados. Segundo o diretor regional, no Sul de Santa Catarina, da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave), Renato Costa, fevereiro já costuma ser um mês mais fraco para a venda de veículos.

“Mesmo assim, as vendas foram muito abaixo do normal. Acredito que as pessoas ficaram surpresas com essa alta excessiva da Selic, que interfere nos financiamentos. Também temos a questão do aumento das peças automobilísticas que também influencia na dificuldade de negócio dos veículos”, explicou Costa.

Expectativa

O governo federal anunciou no dia 25 de fevereiro, a redução de até 25% no IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) dos veículos, por meio de um decreto que já entrou em vigor. Com isso, a expectativa é que em março as vendas não sejam como o mês anterior e tenham resultado positivos.

“A queda das vendas afeta o governo porque diminui a arrecadação dele. Então a grande probabilidade é que isso tenha vindo para aumentar o consumo. Porém a redução é diferente para cada modelo de carro, estamos aguardando para ver como ficarão os preços porque dependendo, vai facilitar as vendas”, indagou o diretor regional da Fenabrave.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.