Comarca de Criciúma prevê desacumular júris

Trata-se do Mutirão do Júri, Promovido pela Corregedoria-Geral da Justiça (CGJ), para julgar processos acumulados durante a pandemia do coronavírus

Foto: Nilton Alves/TN

- PUBLICIDADE -

Letícia Ortolan
Criciúma

Promovido pela Corregedoria-Geral da Justiça (CGJ), do Poder Judiciário de Santa Catarina (TJSC), a Comarca de Criciúma inicia hoje, o Mutirão do Júri. O objetivo da ação é julgar processos acumulados durante o período da pandemia da Covid-19, que suspendeu todas as sessões. Até o momento, 32 sessões do júri já estão agendadas para os próximos 60 dias.

- PUBLICIDADE -

> Clique aqui e receba as principais notícias do sul catarinense no WhatsApp

A 1ª Vara Criminal da comarca terá o dobro de julgamentos sendo realizados. Isso porque além da agenda extra com as sessões promovidas as terças e quartas-feiras, seguirá normalmente com as pautas do Tribunal do Júri todas às quintas-feiras, a partir das 9 horas.

No total, oito magistrados atuarão como cooperadores da unidade com competência do Tribunal do Júri. As comarcas da Capital, Palhoça, Imaruí, São João Batista, São José
do Cedro, Navegantes e Braço do Norte passarão a presidir as sessões. Pelos crimes de homicídio e tentativa de homicídio, além de crimes conexos, 38 réus serão julgados pelo Conselho de Sentença.

A iniciativa acompanha a ação praticada em todo o Estado. Na região Sul, também participam do mutirão as comarcas de Araranguá, Braço do Norte e Tubarão.

A 1ª Vara Criminal da comarca de Araranguá agendou quatro júris extras para o mês de agosto e a Vara Criminal da comarca de Braço do Norte programou quatro júris populares
para agosto e dois para o mês de setembro.

Leia a matéria completa na edição desta terça-feira, 02 do jornal impresso Tribuna de Notícias

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.