Água gelada dificulta buscas por vítima de naufrágio em Laguna

Buscas pelo corpo do jovem completaram uma semana nesta sexta-feira


- PUBLICIDADE -

O naufrágio envolvendo uma embarcação com sete tripulantes em Laguna, no Sul catarinense, completou uma semana nesta sexta-feira (21) e, desde então, o corpo do personal Michel Ricardo de Moraes Barbosa, de 25 anos, segue desaparecido.

Uma das hipóteses dos bombeiros é que a água gelada esteja impedindo o aparecimento da vítima, tendo em vista que nessas situações é natural o corpo permanecer por mais tempo em submersão.

- PUBLICIDADE -

Por exemplo, segundo a corporação, na quinta-feira (20) a temperatura da água na Praia do Mar Grosso chegou a cerca de 18ºC, enquanto no Farol de Santa Marta, 16ºC.

“É na temperatura da água que estamos nos agarrando no momento para continuar fazendo as buscas da forma que estamos fazendo, porque ela está muito fria mesmo, e no inverno não é incomum um corpo levar mais de cinco dias para vir à superfície. Já chegou a levar dez, por exemplo”, comentou o comandante do Corpo de Bombeiros Militar de Laguna, tenente Henrique José Schuelter Nunes.

Outra hipótese da corporação é que o corpo de Michael esteja distante, devido à força do mar no momento do acidente. “A vazante estava muito forte naquele dia [sexta-feira (14)], e o corpo pode ter ido parar muito longe. Já aconteceu de corpos sumirem e nunca mais aparecerem”, explicou o tenente.

Buscas

Uma força-tarefa iniciou nesta manhã (21), às 7h, o oitavo dia de buscas por Michel. Além de embarcações dos bombeiros e da Marinha do Brasil, a operação conta com o apoio de duas aeronaves sobrevoando as praias de Jaguaruna e Garopaba.

Relembre o caso

O naufrágio aconteceu na sexta-feira (14). Quatro pessoas sobreviveram e duas morreram. O vereador em Caçador Ricardo de Moraes Barbosa, de 48 anos, e o amigo dele, Deyvid Fernandes, estão entre as vítimas.

O filho do parlamentar, o personal Michel Ricardo de Moraes Barbosa, de 25 anos, ainda segue desaparecido. Segundo a madrasta e viúva, Naira Zanella, o jovem era resistente e sabia nadar.

A Marinha do Brasil, por meio de nota da DelLaguna (Delegacia da Capitania dos Portos de Laguna), informou que um inquérito administrativo será instaurado para apurar as causas, circunstâncias e responsabilidades do acidente.

Com informações do ND+

 

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.