- PUBLICIDADE -

Tiago Monte

Criciúma

- PUBLICIDADE -

Fotos: Celso da Luz/CEC

Com uma ampla superioridade e sem dar a mínima chance ao adversário, o Tricolor Carvoeiro fez 2 a 0 no Operário-PR, na noite desta quarta, e quebrou uma série de quatro partidas sem vencer na Série B do Brasileiro. O time treinado por Cláudio Tencati pressionou os paranaenses, desde o princípio, e conseguiu se impor na partida disputada no Majestoso. Após grande pressão, Hygor abriu o placar e marcou o gol do jogo aos 46 minutos do primeiro tempo. Na etapa final, Zé Marcos marcou o segundo, aos 42 minutos do segundo tempo, e decretou o placar final do jogo. Agora, o Tigre é oitavo colocado na tabela e o foco se volta para a Segunda Divisão do Catarinense – onde tem dois jogos decisivos diante do Nação, de Canoinhas. O primeiro será no domingo, às 11 horas, em Joinville.

Antes do primeiro minuto, Lohan ganhou de cabeça e tocoi para Hygor, que recebeu dentro da área e bateu em cima de Vanderlei. Na sobra, Thiago Alagoano cabeceou pressionado, com o gol aberto, mas Reniê salvou em cima da linha. O Criciúma começou com tudo na partida. A partida seguiu em alta velocidade com lances fortes de ambos os lados e os dois times buscando o ataque. Aos cinco minutos, Tomas Bastos bateu de fora da área, mas a bola saiu sem perigo para Gustavo. Com a marcação avançada, o Tigre pressionava o Operário e chegava ao ataque com força, porém, abusava das bolas alçadas na área e não conseguia concluir os lances ao gol de Vanderlei.

Aos 15 minutos, Helder fez boa jogada pela esquerda e cruzou para Lohan, que não conseguiu completar, pois estava pressionado pelo zagueiro. Três minutos depois, Cristovam cruzou da direita e Lohan cabeceou forte, mas a bola pegou na zaga e saiu da área. A forte marcação do Criciúma dificultava a vida do adversário. Aos 19 minutos, Arilson cruzou e Thiago Alagoano finalizou de letra, mas a bola pegou no “pé” da trave e saiu. Aos 25 minutos, Thiago Alagoano cobrou falta da intermediária, Rodrigo cabeceou, Vanderlei fez grande defesa e a bola sobrou para Lohan que bateu forte, mas o camisa 1 do Operário fez outra intervenção incrível. Na sobra, Zé Marcos chutou em cima da defesa e a bola saiu para escanteio.

A partir dos 30 minutos, o Tigre diminuiu a velocidade e o Operário avançou mais ao ataque, porém, deu espaço ao contra-ataque do Criciúma. Aos 34 minutos, Hygor foi lançado e recebeu a bola na área, mas demorou para concluir e finalizou em cima de Vanderlei. Chance incrível perdida pelo Criciúma. Aos 39 minutos, Fabiano cruzou e Kalil se antecipou a Gustavo, mas não conseguiu alcançar a bola. Aos 45 minutos, Arilson fez um grande lançamento para Cristovam, na direita, que invadiu a área e finalizou para a defesa de Vanderlei. Na sequência, Fellipe Mateus cruzou, Lohan cabeceou e a bola sobrou, na pequena área, para Hygor abrir o placar: 1 a 0 aos 46 minutos. Aos 48 minutos, Lohan invadiu a área pela esquerda e bateu forte, mas a bola caprichosamente saiu pela linha de fundo. No final da etapa inicial, vitória parcial do Criciúma. “Eu tive duas oportunidades e o Vanderlei foi muito feliz. A equipe colocou um volume de jogo muito grande, conforme o professor pediu, agora é tentar acertar o último passe para aumentar o placar e vencer o jogo, que é muito importante pra nós hoje”, diz Hygor.

Vitória com gol marcado no final

No começo da segunda etapa, o Operário teve a chance de empatar: após cobrança de escanteio, Gustavo saiu mal do gol e Gustavo Alcino, com a meta aberta, cabeceou pela linha de fundo. Lance incrível desperdiçado aos três minutos. O segundo tempo tinha uma velocidade menor, em relação à etapa inicial, pela desaceleração do Criciúma e pela leve melhora do Operário. Aos 10 minutos, Cristovam fez boa jogada pela direita e bateu cruzado, mas Arnaldo salvou em cima da linha e evitou o segundo gol carvoeiro.

Aos 17 minutos, Arnaldo cruzou da direita e Felipe Garcia cabeceou para defesa fácil de Gustavo. O segundo tempo estava bem mais lento do que a etapa inicial. Aos 19 minutos, Cristovam fez grande jogada pela direita e caiu na área, mas o árbitro nada marcou, mesmo depois de rápida revisão dos árbitros do VAR. No minuto seguinte, um bate e rebate na área gerou pedido de pênalti para o Tigre, mas nada aconteceu. A partida caiu muito de rendimento de ambos os lados e se tornou burocrática. O Criciúma diminuiu o ritmo e o Operário não conseguiu melhorar em campo.

Aos 33 minutos, Zé Marcos avançou bem pela esquerda e tocou para o meio, mas Marcos Serrato finalizou em cima da zaga. Aos 35 minutos, Lohan avançou na meia lua e foi derrubado por Gustavo Alcino. Falta perigosa. Na cobrança de Fellipe Mateus, a bola parou na barreira. Chance desperdiçada pelo Tigre. Aos 42 minutos, após cruzamento, Arilson escorou na segunda trave e Zé Marcos completou, de cabeça, para decretar o placar final: 2 a 0 para o Criciúma no Majestoso.

Campeonato Brasileiro – Série B – 25ª Rodada

17/08 (quarta-feira) – 19 horas – estádio Heriberto Hülse, em Criciúma

CRICIÚMA

Gustavo; Cristovam (Gedeílson), Rodrigo, Zé Marcos e Helder; Marcos Serrato (Renan Areias), Arilson, Fellipe Mateus e Thiago Alagoano (Ítalo Melo); Hygor (Lucas Xavier) e Lohan (Fernando Viana). Técnico: Cláudio Tencati

OPERÁRIO-PR

Vanderlei; Arnaldo (Getterson), Gustavo Alcino, Reniê e Fabiano; Rafael Chorão (Felipe Garcia), Tomas Bastos e Leandrinho (Fernando Neto); Paulo Victor (Paulo Sérgio), Kalil e Jean Carlo (Pablo). Técnico: Matheus Costa

Arbitragem: Denis da Silva Ribeiro Serafim; Auxiliares: Pedro Jorge Santos de Araújo e Brígida Cirilo Ferreira (trio de AL). VAR: Rodrigo Nunes de Sá (RJ) e Silbert Faria Sisquim

GOLS: Hygor (46/1T) e Zé Marcos (42/2T) (C)

Cartões Amarelos: Arilson e Marcos Serrato (C); Felipe Garcia e Gustavo Alcino (O)

Cartões Vermelhos: Não houve

Público: 10.285

Renda: R$ 192.520,00

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.