Tigre de olho no “Boi Bandido”

Diretoria do clube demonstra interesse no atacante Aloísio, que estava no futebol chinês. Grêmio também tem busca o jogador


- PUBLICIDADE -

Tiago Monte

Criciúma

- PUBLICIDADE -

Uma das “extravagâncias” que a diretoria do Criciúma estaria disposta a fazer, para reforçar o elenco na Série B, é a contratação do atacante Aloísio, o Boi Bandido. Os dirigentes do clube admitem que há interesse no jogador, que recentemente visitou a estrutura do Centro de Treinamento Antenor Angeloni. O atleta também teria interesse em atuar pelo Tricolor Carvoeiro. As negociações acontecerão com o empresário do atleta, a partir desta semana.

No final de semana, porém, pode ter surgido um empecilho. O Grêmio, clube onde o jogador despontou, teria demonstrado interesse na contratação do jogador. Esse seria um dificultador para o Criciúma. Os dirigentes, porém, contam com a proximidade de Araranguá, terra natal do jogador, para convencer Aloísio a fechar com o Tigre. O atacante tem 33 anos.

Revelado nas categorias de base do Grêmio, Aloísio já jogou no time principal do Tricolor Gaúcho, além de FC Chiasso, da Suiça. No Brasil, o atacante esteve no Caxias, Chapecoense, Figueirense e São Paulo. Os bons números levaram o atleta para a China em 2014, onde esteve até o ano passado. Na Ásia atuou por Shandong Luneng, Hebei FC, Guangdong South China e Guangzhou Evergrande. Ele é naturalizado chinês e também vestiu a camisa da seleção oriental.

Outro nome que foi ventilado no Criciúma foi o atacante Eder. Os dirigentes tentaram buscar o jogador, mas o técnico do São Paulo, Rogério Ceni, impediu a negociação. O atleta chegou a viajar para a capital paulista para rescindir contrato e atuar no Criciúma, mas Ceni vetou a saída. Hoje, Éder capitão do São Paulo e vive boa fase no time paulista.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.