Próspera representa a região no Catarinense

Sem o Criciúma, rebaixado para a Série B do Estadual, cabe ao Time da Raça levar o nome da Amrec e da Amesc, a partir deste sábado, na Primeira Divisão deste ano. Estreia será fora de casa contra o Camboriú


- PUBLICIDADE -

Tiago Monte

Brusque

- PUBLICIDADE -

Pela primeira vez, desde a fundação do Criciúma Esporte Clube, o representante da região, no Catarinense, não vestirá amarelo, preto e branco. Sem o Tigre, rebaixado para a Série B do Estadual, cabe ao Próspera, a partir deste sábado, levar o nome da Amrec e da Amesc na principal competição de futebol de Santa Catarina.

O Time da Raça estreará diante do Camboriú, fora de casa. Passando por uma dificuldade semelhante à do time criciumense, o adversário não poderá jogar no estádio Roberto Santos Garcia devido a reformas. Desta forma, mandará os confrontos no Augusto Bauer, em Brusque. Assim, o jogo de estreia, considerado um enfrentamento direto – em função dos objetivos dos times no Catarinense – já terá caráter decisivo. “É um adversário direto na competição. Eles por terem subido e nós porque, provavelmente, somos o menor orçamento do campeonato. O Camboriú, apesar de tudo, vem com mais investimento do que a gente, mas futebol se resume ali dentro. A gente sabe que eles têm bons jogadores e experientes, mas estamos trabalhando humildemente e, lá dentro, vamos ver quem é quem. São 11 contra 11”, comenta o técnico Emerson Cris.

O primeiro objetivo do Time da Raça é a manutenção na Primeira Divisão e garantir novamente a participação na Série D do Brasileirão em 2023. “A pretensão é a gente manter calendário. Claro, a primeira obrigação é se manter. Mas o foco é manter o calendário”, destaca.

Para o treinador, o ano é de reestruturação para o Próspera. “Está trocando gramado, ampliando o estádio, comprando ônibus e organizando a infraestrutura do clube. A estrutura física vamos dizer assim. Aí sim: no ano que vem podemos dar um passo a mais e só pensar em futebol mesmo”, pontua.

Trabalho feito com humildade e grupo jovem

Especialista em trabalhar com jovens formados nas categorias de base, Emerson Cris destaca o trabalho realizado no Próspera. “A gente está trabalhando bem ‘pés no chão’. Com humildade. Sabemos da dificuldade do campeonato, temos um grupo jovem e um problema grande com o fator de não jogar em casa nas três primeiras rodadas. Aí você conta mais três que, naturalmente, são fora, já são seis jogos fora de casa. Isso pesa muito contra a gente”, diz. Emerson se refere às obras no estádio Mário Balsini, que pode não ter condições de receber os jogos do Próspera nesse ano.

Emerson garante que o elenco do Time da Raça está praticamente fechado. “O trabalho em si está seguindo e sendo bem feito. Nós temos trabalhado forte. Fizemos uma sequência de amistosos bons e estamos com todos os jogadores à disposição. Temos 95% do elenco praticamente fechado. Caso necessite alguma coisa, durante a competição, a gente vai em busca de um ou outro pontualmente”, diz.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.