Próspera perde mais uma na Série D

Com o resultado, o Próspera chega a sete jogos sem vencer na Série D do Brasileiro

Foto: Divulgação

- PUBLICIDADE -

Tiago Monte

Nova Veneza

- PUBLICIDADE -

 

Afundado na lanterna do grupo 8, na Série D do Brasileiro, o Próspera perdeu mais uma, na competição nacional, na tarde de ontem. Jogando no estádio da Montanha, no distrito de Caravaggio, em Nova Veneza, o Time da Raça levou 3 a 1 do Azuriz-PR, que lidera a chave com 21 pontos. O time criciumense é lanterna com cinco pontos ganhos em 10 partidas disputadas.

> Clique aqui e receba as principais notícias do sul catarinense no WhatsApp

Afundado na lanterna do grupo 8, na Série D do Brasileiro, o Próspera perdeu mais uma, na competição nacional, na tarde de ontem. Jogando no estádio da Montanha, no distrito de Caravaggio, em Nova Veneza, o Time da Raça levou 3 a 1 do Azuriz-PR, que lidera a chave com 21 pontos. O time criciumense é lanterna com cinco pontos ganhos em 10 partidas disputadas.

Gabriel Fornari, de cabeça, abriu o placar, em um vacilo da defesa prosperana, aos 28 minutos do primeiro tempo. Aos oito minutos do segundo tempo, Lucas Sebástian chegou a deixar tudo igual, mas Yuri Mamute, formado na base do Grêmio, quatro minutos mais tarde, colocou os paranaenses na frente. Lucas Vieira deu números finais ao jogo aos 43 minutos da etapa final.

Com o resultado, o Próspera chega a sete jogos sem vencer na Série D do Brasileiro. O último triunfo do Time da Raça foi em primeiro de maio: 1 a 0 contra o Juventus, em Jaraguá do Sul. De lá para cá, são dois empates e cinco derrotas. O time está praticamente eliminado da competição nacional e vive uma crise, inclusive, com reclamações de salários atrasados por parte de jogadores e funcionários.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.