Próspera: Emerson Cris lamenta os critérios do juiz

O técnico diz que há “dois pesos e duas medidas” na arbitragem do Catarinense


- PUBLICIDADE -

Tiago Monte

Jaraguá do Sul

- PUBLICIDADE -

Após o jogo, o técnico Emerson Cris lamentou a falta de critérios de arbitragem no Catarinense. O técnico diz que há “dois pesos e duas medidas”. “O que deixa a gente chateados – e fica com medo de falar porque pode ser prejudicado em outras situações – é que falta critério. No jogo do Avaí aconteceu algo parecido e são dois pesos e duas medidas. Trabalhamos contra todas essas situações. Conseguimos somar um ponto e segurar o Joinville”, comenta Emerson, se referindo aos pênaltis e à expulsão de Beto. “Existe a lei da vantagem para isso. Se foi gol, teria feito e o nosso número de atletas seria igual. Esses critérios variam de arbitro para arbitro. Não podemos polemizar e falar muito”, completa.

Para Emerson, o Próspera entrou desligado, mas depois conseguiu equilibrar as ações. “Quando você entra em uma partida importante desse e monta uma estratégia, se trabalha em cima do encaixe e como joga do adversário. Quando acontece uma situação dessa, você desmancha tudo e monta duas linhas por setor e deixa um homem na frente”, diz.

Emerson espera duas “pedreiras” contra Brusque e Concórdia, no final da primeira fase da competição. “São mais duas pedreiras. Duas finais. A gente sabe da dificuldade e é jogo duro toda a hora. Vamos para um campo mais distante, em Brusque, depois volta para Criciúma e viaja de novo. A gente sabe da dificuldade e importância do jogo, mas temos que ir com a mesma determinação e raça. Vem outra pedreira e temos que nos preparar bem”, comenta.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.