Em jogo uma vaga no Regional da Larm

Mãe Luzia joga pelo empate para ser campeão e subir para a Primeira Divisão. Vila Nova precisa vencer por dois gols de diferença para ficar com o título


- PUBLICIDADE -

Tiago Monte

Içara

- PUBLICIDADE -

Mãe Luzia ou Vila Nova. Uma das duas equipes fará parte da Primeira Divisão do Campeonato Regional da Liga Atlética da Região Mineira (Larm) em 2023. Eles disputam o jogo decisivo da Taça Spillere Sports neste sábado, dia 26, a partir das 15 horas, no estádio Pedro Guglielmi, em Içara. O campeão sobe para o grupo principal no ano que vem.

No confronto de ida, que aconteceu no domingo passado, o Mãe Luzia levou a melhor e venceu por 2 a 1, no estádio Dr. Olavo de Assis Sartori. Rodrigo Hoffmann marcou os dois gols do Mãe Luzia e Douglas assinalou o gol do Vila Nova. Agora, para ser campeão e garantir o acesso, o time criciumense precisa apenas de um empate. Caso o Vila Nova vença por um gol de diferença, a decisão será definida nos pênaltis. Vitória dos içarenses por dois ou mais gols de vantagem dá o título ao Vila Nova.

O Mãe Luzia conta com a boa fase do artilheiro Rodrigo Hofmann para garantir o título. O jogador já marcou cinco vezes na competição deste ano. Pelo lado dos içarenses, Gui Leacina fez oito gols, é o artilheiro da competição e a esperança de reverter a vantagem do time criciumense.

Após o jogo, serão entregues as premiações para artilheiro da competição, goleiro menos vazado e trofeus e medalhas para campeão e vice da competição regional de futebol não profissional.

Finais – Segunda Divisão da Larm

Domingo – 20/11 – 15h

Mãe Luzia 2 x 1 Vila Nova, estádio Dr. Olavo de Assis Sartori, em Criciúma

 

Sábado – 26/11 – 15h

Vila Nova x Mãe Luzia, estádio Pedro Guglielmi, em Içara

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.