Criciúma vacila e cede empate no final da partida

Com o campo em poucas condições de jogo, Tigre faz 1 a 0 no Sport, mas permite a igualdade dos donos da casa com o estreante Vágner Love, aos 40 minutos do segundo tempo. Empate freia o crescimento do Tricolor Carvoeiro na Série B do Brasileiro


- PUBLICIDADE -

Tiago Monte

Recife/PE

- PUBLICIDADE -

Fotos: Celso da Luz/CEC

Parecia que o Criciúma venceria fora de casa, na noite desta terça-feira. Porém, o estreante Vágner Love impediu que o time treinado por Cláudio Tencati quebrasse o tabu de um mês sem vencer longe do Majestoso. As condições de jogo foram as mais precárias: com um campo encharcado, o Criciúma aproveitou uma bola cruzada na área e fez 1 a 0, com o centroavante, oportunista, Lohan, aos 38 minutos da etapa inicial. No segundo tempo, porém, o Leão Recifense insistiu nas jogadas pelo lado do campo, até que, aos 40 minutos, o “artilheiro do amor” deu números finais à partida: 1 a 1. Assim, o Tricolor Carvoeiro para no meio da tabela e fica na oitava posição.

Mesmo com a forte chuva que caiu em Recife, durante todo o dia, a bola rolava tranquila, pelos lados do campo, no gramado da Ilha do Retiro, resultado do trabalho intensivo de funcionários do Sport. Algumas poças, mais ao meio do campo, complicavam um pouco o andamento do jogo. O Tigre buscou o ataque, logo nos primeiros minutos, mas o Sport equilibrou a partida e também chegou à frente. Os dois times preferiam os lados do campo, onde havia menos água empoçada.

Aos 15 minutos, Luciano Juba finalizou da direita, em cima da zaga, no rebote, ele mesmo bateu, de curva, a bola desviou em Rodrigo e bateu na trave antes de sair. Lance de perigo para o Sport. No minuto seguinte, a resposta do Criciúma: William Oliveira falhou, escorregou, perdeu a bola, Hygor avançou, invadiu a área, mas bateu em cima de Carlos Eduardo e desperdiçou o lance. Boa chance do Criciúma.

Aos 26 minutos, Fabinho e Fábio Alemão deram uma entrada forte em Fellipe Mateus. O lance gerou muita reclamação do banco de reservas do Tigre, mas o juiz não deu cartões para os atletas do time pernambucano. Marquinhos Gabriel tentava criar jogadas pelo meio, mas o campo alagado dificultava as ações do camisa 10 carvoeiro. O Tigre marcava bem e não deixava o time da casa jogar. Ambos os times tinham dificuldades de criar lances de perigo.

Aos 32 minutos, Denner cruzou e Kayke tentou cabecear, mas a bola saiu pela linha de fundo. Dois minutos depois, Fabinho fez boa jogada pela direita, mas quando foi cruzar, a bola parou na poça d’água e traiu o jogador do time recifense. Aos 38 minutos, o Tigre abriu o placar. Após cobrança rápida de falta, Renan Areias cruzou da direita, já na área, e Lohan esticou a perna, na segunda trave, para marcar 1 a 0. O Criciúma neutralizava bem a partida e chegava ao ataque em lances rápidos. No final da primeira etapa, vitória parcial do Tigre. “A gente sabia que o Sport iria tentar colocar o volume deles, mas conseguirmos neutralizar e aproveitamos a oportunidade. Agora é manter para conquistar a vitória”, diz o autor do gol, Lohan, no intervalo.

Estreante marca na reta final do jogo

O Sport voltou com Vágner Love em campo. Logo aos dois minutos, após cobrança de falta, Fabinho cabeceou muito perto da trave de Gustavo. O time da casa retornou tentando pressionar o Criciúma. A partida tinha poucos lances de perigo em virtude do gramado encharcado. Aos 10 minutos, Luciano Juba recebeu na esquerda, quase no meio campo, e tentou encobrir o goleiro Gustavo, que estava fora do gol, mas a bola saiu distante da trave. Aos 11 minutos, Léo Costa recebeu na intermediária e finalizou nas mãos de Carlos Eduardo. A partir dos 13 minutos, a chuva voltou com força na Ilha do Retiro. Aos 15 minutos, Lohan sentiu um mal estar e deixou o campo. O técnico Cláudio Tencati optou pela entrada do zagueiro Zé Marcos.

O Tricolor Carvoeiro marcava bem, dominava a partida e contava com o gramado alagado que dificultava a criação de jogadas por parte dos donos da casa. A etapa final não tinha lances de perigo e se concentrava mais pelos lados do campo e com bolas longas. O Criciúma tinha uma linha de cinco defensores que não permitia as chegadas do Sport. Aos 29 minutos, após cobrança de falta, Sabino cabeceou alto e pela linha de fundo.

Nos últimos 15 minutos, o Sport insistiu nas bolas cruzadas para a área. Aos 40 minutos, a pressão deu certo: Luciano Juba cruzou da esquerda e o estreante Vágner Love completou, na segunda trave, para igualar o jogo: 1 a 1. Aos 43 minutos, Marcelo Hermes recebeu de Caio Dantas e finalizou na rede, mas pelo lado de fora. Aos 47 minutos, Pedro Naressi ainda cabeceou uma bola para fora. No final, o Criciúma deixa a vitória escapar e fica na igualdade. “O campeonato pede uma regularidade: não perder fora de casa e ganhar em casa. Esse resultado fica de bom tamanho, porque é muito dificil de jogar na Ilha. O campo estava pesado também. Não totalmente feliz, mas agradecido pelo ponto conquistado”, finaliza o meia Marquinhos Gabriel.

Campeonato Brasileiro – Série B – 22ª Rodada

02/08 (terça-feira) – 21h30 – estádio da Ilha do Retiro, em Recife/PE.

SPORT

Carlos Eduardo; Ewerthon (Blas), Fábio Alemão, Sabino e Lucas Hernandez; Fabinho, Denner (Éverton Felipe), William Oliveira (Pedro Naressi), Thiago Lopes (Vágner Love) e Luciano Juba; Kayke (Gustavo Coutinho). Técnico: Claudinei Oliveira

CRICIÚMA

Gustavo; Renan Areias (Marcos Serrato), Rodrigo, Henríquez Bocanegra e Marcelo Hermes (Helder); Léo Costa, Gustavo Cazonatti, Fellipe Mateus (Lucas Poletto) e Marquinhos Gabriel; Hygor (Caio Dantas) e Lohan (Zè Marcos). Técnico: Cláudio Tencati

Arbitragem: Savio Pereira Sampaio; Auxiliares: Daniel Henrique da Silva Andrade e Lehi Sousa Silva; (trio do DF) Arbitro de Vídeo: Elmo Alves Resende Cunha (GO) e Edson Antônio de Sousa (GO)

GOLS: Lohan (38/1T) (C); Vágner Love (40/2T) (S)

Cartões Amarelos: Henríquez Bocanegra, Léo Costa, Marcos Serrato e Caio Dantas (C); Lucas Hernandez (S)

Cartões Vermelhos: Não houve

Público: 17.189

Renda: 466.660,00

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.