Criciúma: Matriculas abertas para paratletas

As vagas são para atletismo nos quatro segmentos, tênis de mesa, xadrez para deficientes visuais, bocha andante, cadeirante, paralímpica e visual, basquete em cadeira de rodas e goalball para deficientes visuais


- PUBLICIDADE -

Criciúma

Visando a socialização de deficientes físicos, visuais, intelectuais e auditivos, o Paradesporto da Fundação Municipal de Esportes (FME) de Criciúma está com matrículas abertas para paratletas que desejam participar de competições em 2022.

- PUBLICIDADE -

As vagas são para atletismo nos quatro segmentos, tênis de mesa, xadrez para deficientes visuais, bocha andante, cadeirante, paralímpica e visual, basquete em cadeira de rodas e goalball para deficientes visuais.

Conforme a coordenadora do Paradesporto da FME Criciúma, Solange Lima, o esporte é utilizado como ferramenta de socialização e auxília no desenvolvimento. “Nós já tivemos casos que as pessoas com alguma deficiência começaram a praticar o esporte e tiveram uma melhora significativa”, enfatizou.

O Paradesporto de Criciúma vem de uma campanha vitoriosa no Parajasc de 2021, com a conquista de 50 medalhas e três troféus. Para esse ano, o calendário esportivo contará com as competições regionais, estaduais e nacionais. “Nossos paratletas sempre se dedicam ao esporte de uma maneira muito bonita. É gratificante poder acompanhar de perto a evolução de cada um, as vitórias e os aprendizados. Vamos continuar apoiando e incentivando o paradesporto, para que tenhamos cada vez mais interessados”, destacou o presidente da FME Criciúma, Neto Uggioni.

Os interessados devem procurar a FME Criciúma por meio do telefone (48) 3445-7015 ou a coordenadora do Paradesporto, Solange Lima, pelo telefone (48) 99933-8385.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.