Com gol polêmico, Tigre perde para o Vila Nova

Equipe goiana faz 1 a 0 no Criciúma, em cobrança de pênalti, após lance revisado pelo VAR, e estaciona o time treinado por Cláudio Tencati com 46 pontos. Partida tem poucos lances de perigo e fraco desempenho dos dois times


- PUBLICIDADE -

Tiago Monte

Goiânia/GO

- PUBLICIDADE -

Foto: Celso da Luz/CEC

O Tricolor Carvoeiro perdeu a chance de se manter perto do G4 da Série B do Brasileiro, ao perder para o Vila Nova por 1 a 0, na noite desta terça-feira, em Goiânia. Em um jogo com poucos lances de perigo, a definição aconteceu em um pênalti polêmico. Matheuzinho foi derrubado na área por Marcos Serrato, aos 36 minutos da etapa final, mas, antes, o árbitro gaúcho Jean Pierre Gonçalves de Lima marcou impedimento. Porém, o lance foi revisado pelo VAR e o pênalti foi assinalado. Arthur Rezende cobrou e deu números finais à partida. O Criciúma estaciona na tabela, mas, agora, tem dois jogos em casa, na sequência, para tentar voltar a se aproximar dos quatro primeiros. O sonho do acesso está mais distante, mas segue vivo. “Enquanto matematicamente tivermos chances, vamos lutar pelo objetivo. Viemos aqui, lutamos para caramba, mas não foi o resultado que queríamos. Quero parabenizar o esforço de todos. Agora, temos que voltar para Criciúma e sexta temos um desafio difícil diante do nosso torcedor”, diz o zagueiro Rodrigo, ao final do jogo.

Com forte marcação, de ambos os lados, as equipes começaram a partida com lances ríspidos. O Tigre buscou o ataque e pressionava o adversário no campo de defesa. Porém, o Vila Nova saia rápido em contra golpes. Aos 4 minutos, Kaio Nunes avançou pela esquerda, mas foi pressionado por Cristovam e saiu com bola e tudo. Com maior posse de bola, o time goiano tentava apertar o Criciúma. Aos sete minutos, Hygor fez boa jogada pela esquerda e cruzou para Lohan, na entrada da grande área, mas o camisa 9 finalizou pela linha de fundo. Aos 10 minutos, Marcos Serrato errou a saída de bola, Neto Pessoa avançou, mas Rayan colocou para escanteio. Na cobrança, Gustavo afastou. Aos 15 minutos, Marcos Serrato finalizou de fora da área, mas a bola subiu e saiu. No minuto seguinte, o mesmo Serrato cruzou da esquerda, Lohan deu um leve desvio, mas Hygor não pegou e a bola saiu.

O Criciúma seguia firme na defesa e não era pressionado pelo adversário. Enquanto isso, marcava forte no ataque e ameaçava o Vila Nova. Aos 22 minutos, Hygor cruzou da direita e Helder chegou batendo, da esquerda, mas Tony defendeu. O Tricolor Carvoeiro era melhor em campo. Aos 24 minutos, Marcos Serrato finalizou de fora da área, mas a bola subiu muito e saiu. O Tigre não conseguia chegar ao gol do Vila Nova, que marcava bem, então arriscava de fora da área ou em jogadas pelos lados do campo.

A partir dos 30 minutos, a partida perdeu em qualidade, com ambas as equipes rifando a bola e muito perde e ganha no meio de campo. Aos 33 minutos, Thiago Alagoano cobrou escanteio para Fellipe Mateus que cruzou para Lohan que cabeceou mal, pela linha de fundo. Aos 35 minutos, Arilson arriscou de fora da área, mas a bola saiu. Melhor em campo, o Tigre buscava o gol, mas sem conseguir ameaçar muito o time goiano, que marcava forte. Aos 40 minutos, Lohan foi derrubado na meia lua. Falta. Fellipe Mateus cobrou na barreira. Aos 45 minutos, Dentinho finalizou e Gustavo colocou para escanteio. Na cobrança, a zaga carvoeira afastou. Sob forte chuva, Fellipe Mateus derrubou Kaio Nunes na intermediária. Falta. Arthur Rezende cobrou e a bola pegou na barreira. “Sabemos da dificuldade da partida, não conseguimos criar muitas chances de gol, mas agora é ver o que o professor Tencati tem pra ajustar para buscarmos a vitória na segunda etapa”, diz o atacante Hygor, no intervalo.

Lance polêmico define a partida

Ainda sob chuva, as equipes voltaram para a etapa final, novamente, buscando o ataque. Aos seis minutos, Kaio Nunes recebeu na intermediária, finalizou e a bola subiu. Na sequência, Neto Pessoa tocou para Wagner, que recebeu na área, mas estava impedido. Aos nove minutos, Fellipe Mateus cobrou falta, o goleiro Tony afastou e Cristovam finalizou muito alto, de fora da área. Após um leve domínio do time goiano, o Criciúma voltou a ter mais posse de bola, mas sem conseguir chegar ao gol de Tony, já que o Vila Nova marcava forte.

Aos 16 minutos, Dentinho fez jogada individual pela direita e bateu, mas a bola saiu rasteira para fácil defesa de Gustavo. No minuto seguinte, novamente Dentinho fez boa jogada pelo meio e finalizou forte para grande defesa de Gustavo, que salvou o Tigre. Aos 20 minutos, Wagner finalizou muito mal e a bola saiu longe do gol. O time da casa era mais incisivo na etapa final, mas não levava grande perigo ao gol de Gustavo.

Aos 34 minutos, Railan tocou para Dentinho, que bateu forte e obrigou Gustavo a fazer uma grande defesa. No minuto seguinte, Hugo Cabral lançou Matheuzinho, que se infiltrou na área e caiu, após ser derrubado por Marcos Serrato. Os jogadores do Vila Nova pediram pênalti, mas o árbitro Jean Pierre Gonçalves de Lima marcou impedimento. Após revisão do VAR, que demorou três minutos, o juiz assinalou o pênalti. Na cobrança, Arthur Rezende bateu e marcou 1 a 0 aos 41 minutos. Aos 45 minutos, Ítalo Melo cruzou e Caio Dantas cabeceou para fora. Dois minutos depois, Fellipe Mateus pegou a sobra na área, mas a bola subiu. O Criciúma tentou uma pressão final, sem sucesso. Aos 51 minutos, ainda deu tempo de Gustavo salvar o Tigre do segundo gol dos goianos. No encerramento, a primeira derrota do Criciúma, após oito jogos de invencibilidade.

Campeonato Brasileiro – Série B – 33ª Rodada

04/10 (terça-feira) – 19 horas – estádio Onésio Brasileiro Alvarenga, o Oba, em Goiânia (GO)

VILA NOVA

Tony; Alex Silva (Railan), Rafael Donato, Alisson Cassiano e Willian Formiga (Jefferson); Sousa, Arthur Rezende, Wagner (Matheuzinho) e Dentinho; Neto Pessoa (Daniel Amorim) e Kaio Nunes (Hugo Cabral). Técnico: Allan Aal

CRICIÚMA

Gustavo; Cristovam, Rodrigo, Rayan e Helder (Marcelo Hermes); Marcos Serrato (Fernando Viana), Arilson (Rômulo), Fellipe Mateus e Thiago Alagoano (Ítalo Melo); Hygor e Lohan (Caio Dantas). Técnico: Cláudio Tencati

Arbitragem: Jean Pierre Gonçalves de Lima (RS); Auxiliares: Maurício Coelho Silva Penna (RS) e Bárbara Roberta da Costa Loiola (PA). VAR: Gilberto Rodrigues Castro Junior e Clovis Amaral da Silva (ambos de PE)

GOLS: Arthur Rezende (41/2T)

Cartões Amarelos: Hygor e Marcos Serrato (C)

Cartões Vermelhos: Não houve

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.