Cocal do Sul: aulas de caratê gratuitas para alunos da Apae

Treinamento é oferecido pela Associação Boava De Caratê Shotokan, com apoio da Prefeitura Municipal


- PUBLICIDADE -

Cocal do Sul

Alguns alunos da Apae de Cocal do Sul, agora têm uma nova atividade semanal: praticar caratê. Oferecidas pela Associação Boava De Karatê Shotokan, através dos professores Luiz Henrique Boava e Cristina Acácio, as aulas iniciaram nesta sexta-feira, dia primeiro. O caratê é uma arte marcial japonesa e um método de ataque e defesa pessoal que inclui diversas técnicas, mas os benefícios são muitos, principalmente atuando na melhora das capacidades físicas e habilidades gerais.

- PUBLICIDADE -

Mas a professora de Educação Física da Apae, Tatiane Koerich Mesquita destaca um ponto muito especial desta iniciativa: a inclusão. “Na escola eles fazem parte de todas as atividades, mas é dentro da escola. Sair do espaço habitual e ir para um lugar que é onde todo mundo treina, um lugar onde todas as pessoas participam e eles também podem estar lá participando, eu acho que essa é a parte mais importante”.

Através do caratê, o Professor Boava lembra que outra característica trabalhada é a disciplina. “Isso vai ajudar o dia a dia deles na escola. Em geral, a gente só tem a agradecer essa parceria de novo com a Apae e dizer que a gente está sempre de portas abertas para poder contribuir”, frisa, lembrando da enorme satisfação que é ministrar as aulas. “É incrível ver essa evolução e poder contribuir um pouquinho mais, vendo eles ter uma facilidade talvez, de amarrar um cadarço, se locomover e ter um equilíbrio melhor, o karatê vai ajudar com essa parte. Se pudermos contribuir um pouquinho, a gente já fica muito feliz”, completa Luiz.

Apoio ao retorno

Se engana quem pensa que essa iniciativa é novidade. Há alguns anos, vários alunos já frequentavam a Associação Boava para aulas, mas devido a problemas particulares, o professor Luiz Henrique Boava precisou encerrar o projeto. Agora, no retorno, ele comemora. “Para nós é muito importante ter esse contato e se doar um pouquinho para a sociedade. Sinto que estamos voltando em terreno fértil”.

Ele lembra que a parceria entre a escola de caratê e a Apae, conta com o apoio da Prefeitura Municipal. “Quando comentamos que íamos voltar com esse projeto e precisávamos de parceria, de prontidão, o governo sul-cocalense e a autarquia de esportes se colocaram ao nosso lado para ajudar”, destaca.

Há alguns meses, a volta do projeto já era celebrada, mas a demora no início das aulas ocorreu devido a pandemia. Para a própria segurança dos alunos, a equipe aguardou a melhora do cenário da Covid-19 para voltar com as atividades.

Doações para o projeto

Os alunos da Apae recebem treinamento como qualquer outro praticante da modalidade, claro que, respeitando as limitações de cada um. Mas o ensino vai desde o cumprimento, comportamento, até a arte marcial em si. E para que eles se sintam ainda mais parte da associação de caratê, a vestimenta também se torna algo importante. “A Apae possui alguns kimonos e faixas brancas que foram doações passadas, mas o número de peças ainda não contempla todos os alunos que vão estar no projeto”, conta a Diretora da Apae, Rosiclei Prior Viola.

Por isso, a Apae e a escola de caratê, estão pedindo para que, quem tenha kimonos usados nos tamanhos adolescente e adulto que não estejam em uso e quiserem doar, que procurem um dos responsáveis pelo projeto, ou entre em contato com a Apae Cocal do Sul pelo telefone (48) 3447-6059.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.