Ainda sonhando com o acesso, Tigre pega o lanterna

Diante do Náutico, na sexta-feira, a partir das 19 horas, no Majestoso, Criciúma ainda alimenta a esperança de subir para a Série A do Brasileirão. Cláudio Tencati celebra o primeiro ano à frente da equipe carvoeira


- PUBLICIDADE -

Tiago Monte

Criciúma

- PUBLICIDADE -

São seis pontos, a desvantagem do Criciúma para o Vasco, quarto colocado na Série B do Brasileiro. Porém, isso não desanima o time do técnico Cláudio Tencati. Restando cinco jogos para o final da competição, o comandante carvoeiro ainda não joga a toalha e acredita no acesso. O próximo passo é nesta sexta-feira, às 19 horas, diante do Náutico no Majestoso. Celebrando um ano no cargo, Tencati compara o momento atual com a busca pela volta à Segunda Divisão nacional, no ano passado. “Nesse momento, claro que é mais difícil, porque não depende só de nós. A gente tinha uma posição mais fácil no ano passado. Nossa condição era melhor. Agora está mais difícil, porque ficamos um pouquinho distante, mas futebol é futebol.  Nós temos que seguir jogo a jogo, se convergir para que dê certo, lá na frente, será fantástico e espetacular. Ficará marcado na trajetória do clube e na nossa. Então, que seja. Vamos trabalhar para que aconteça”, pontua o treinador.

Último colocado na tabela, o Náutico ainda tenta escapar do rebaixamento. O time de Recife precisa vencer os cinco jogos restantes. Mesmo com o cenário desfavorável para o adversário, Tencati não acredita que a partida será fácil. “Vimos o exemplo claro da última rodada, contra a Tombense. Você imagina que o Náutico já está morto e a Tombense vai ganhar lá: olha o que ocorreu. Uma virada espetacular. É uma equipe que é franco-atirador”, diz.

Tencati ressalta que a partida será difícil para o Criciúma e convoca a torcida a comparecer em massa no estádio Heriberto Hülse. “Eles têm cinco partidas para fazer e podem chegar aos 45 pontos. Precisam vencer os cinco jogos, mas a matemática deles talvez salve com 43. Depende de outros resultados da parte de baixo. Neste momento, não tem nada definido. Por isso, será um jogo extremamente difícil. O Náutico, contra nós, vai jogar o jogo da vida. Por que: perdeu, tem só 12 pontos para disputar e dificulta mais. Então, por isso será um jogo extremamente difícil e nós precisamos do torcedor carvoeiro. Então: torcida, está convocada. Junto conosco para esse grande jogo”, comenta.

A receita do sucesso no trabalho à frente do Tricolor

Na quarta-feira, dia 5, Tencati completou um ano no comando do Criciúma. Ele revela o segredo para o sucesso do trabalho. “As relações são importantes. É normal, como um casamento: existe desgaste. Tem esse momento. Só que tem horas que você vai falar, em outras tem que ouvir e tem que saber gerenciar. Isso é com a direção, imprensa, torcida e jogadores. Claro que a relação mais importante, no dia a dia, é com direção, jogadores e comissão técnica, porque é através dali que sai todo o direcionamento do trabalho. Ainda tem a relação com a imprensa e torcida. Se for um processo desgastante, em um momento oportuno, quando o resultado não ocorre, a avalanche vem para cima de você e, claro, que você fica sozinho, se questiona trabalho e competências. E pode vir a demissão. Como já ocorreu e já passei por isso. Mas não há dúvidas que sempre somos bem recebidos, por onde passamos, em função das relações, que são fundamentais para o sucesso do trabalho”, explica.

Tencati acredita que conseguiu construir um time com a “cara do Criciúma”. “O Criciúma sempre teve times competitivos em casa. Esse era o DNA. E eu já peguei um pouquinho isso. Foi mérito do trabalho anterior. Quando chegou o Juliano (Camargo, Executivo de Futebol) estava o Paulo Baier e eles instituíram um processo interno, naquele período, e tinha isso na Série C. Eu lembro que a marcação do Criciúma era muito forte e a gente procurou implementar algumas confianças a mais. Mas já tinha esse DNA interno e procuramos manter para essa temporada”, pontua.

Outros acréscimos foram trazidos por Tencati e pela comissão técnica. “Uma agressividade maior de marcação alta, que é uma característica que trouxemos para a equipe. E ficou evidente no jogo contra o Vila. Isso foi algo que trouxemos e idealizamos no término da Série C. Nos reunimos com o Juliano (Camargo) e definimos um modelo de jogo para o Criciúma. Então, foi ali que surgiu a receita importante para esse momento”, declara.

O treinador faz questão de exaltar o comprometimento dos jogadores na execução do trabalho. “O êxito se deve porque a equipe joga como equipe mesmo. Não tem algo excepcional, mas é comprometida, aguerrida, que luta e tem empenho. Quando o Criciúma compete, é difícil de ser batido. Isso foi algo que trouxemos e ficou. Está gravado. Quem chegar aqui, ou a nossa permanência, vai encontrar isso que resgatamos. O Criciúma sempre foi assim”, pontua.

Campeonato Brasileiro – Série B – 34ª Rodada

CRICIÚMA

Gustavo; Cristovam, Rodrigo, Rayan e Helder; Léo Costa, Arilson, Fellipe Mateus e Thiago Alagoano; Hygor e Lohan. Técnico: Cláudio Tencati

NÁUTICO

Jean; Victor Ferraz, Anilson, Arthur Henrique e João Paulo; Djavan, Jobson (Thomaz), Richard Franco e Jean Carlos; Everton Brito e Pedro Vitor (Amarildo). Técnico: Dado Cavalcanti

Arbitragem: Diego Pombo Lopez (BA); Auxiliares: Edevan de Oliveira Pereira (BA) e Fernanda Kruger (MT); VAR: Rodrigo Guarizo Ferreira do Amaral (SP) e Herman Brumel Vani (SP)

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.