Sala Edi Balod da Unesc segue com agenda intensa neste semestre

As obras têm como base o disparar das reflexões acerca do pensamento deleuziano que propõe a separação excludente do ‘isso ou aquilo’ para o trato com os paradoxos constituintes do ‘isso e aquilo’

Foto: Divulgação/Unesc

- PUBLICIDADE -

Nesta segunda-feira, 8, às 19 horas, a Sala Edi Balod – Espaço de Exposições e Laboratório de Artes Visuais da Unesc, será palco para o lançamento da publicação “Seção E”, uma coletânea de seis livros contemporâneos, abordando vários temas: Ensaio, de Fabíola Scaranto; Estória, de Fernando Boppré; Escolas de Artistas, de Mônica Hoff; Encontros, de Fran Favero; Exposição de net art, de Marina Bortoluz Polidoro e Excluir, de Carolina Saut Schroeder. O evento é organizado por Daniele Zacarão e Claudia Zimmer.

> Clique aqui e receba as principais notícias do sul catarinense no WhatsApp

- PUBLICIDADE -

As obras têm como base o disparar das reflexões acerca do pensamento deleuziano que propõe a separação excludente do ‘isso ou aquilo’ para o trato com os paradoxos constituintes do ‘isso e aquilo’.
Por essa capacidade de acordo e soma, a publicação ‘SEÇÃO E’, também foi pensada como uma seção da Biblioteca do Museu de Arte de Cresciuma, um projeto artístico-curatorial que se configura em um museu ficção, e ou, um museu-obra, que vem efetivando, na prática, ações e atividades que propõem reflexões sobre contextos institucionais e suas precariedades. Mostra disso é a proposta do design gráfico da publicação, que já prevê em sua forma, características de uma obra catalogada pelo Museu de Arte de Cresciuma.

O projeto ‘SEÇÃO E’ é contemplado pelo Prêmio Elisabete Anderle de Estímulo àCultura – Edição 2020, executado com recursos do Estado de Santa Catarina, por meio da Fundação Catarinense de Cultura. A publicação ainda conta com o selo editorial da Des editora. Os livros estão sendo lançados em Chapecó, Criciúma e Florianópolis e serão distribuídos gratuitamente.

Agenda Intensa

Nos últimos 25 dias, a Sala Edid Balod hospedou no período de 11 de julho a 05 de agosto, a Exposição ‘DEFLAGRAÇÃO’, do artista Zé Kielwagen. A mostra teve a curadoria de Maurício Bittencourt. O artista é professor, natural de Joinville, reside e trabalha em Troy, Nova Iorque e fez a sua primeira exposição individual após dez anos longe das Galerias de Artes.

Os trabalhos que estiveram expostos foram objetos, fotografias e uma instalação sonora. As fotografias são documentação de intervenções realizadas mundo afora. Foram três projetos exibidos: “Troca de Entidades”, “Areia” e “A ausência do artista está presente” – esse último inédito no Brasil.

Os objetos, ou esculturas, compreenderam dois projetos: o primeiro é uma recriação de “Enxada do Artista”, um trabalho de 2009, criado durante uma edição da série Pretexto do SESC. O segundo objeto é um trabalho inédito, inspirado por “A Psicanálise do Fogo” de Gaston Bachelard. E, por fim, uma intervenção sonora que foi realizada apenas durante a abertura da exposição, ocorrida no dia 08 de julho.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.