Professor faz parte de grupo global que definirá diretrizes do Metaverso

Gustavo Borges é o único da América Latina a compor equipe consultiva de especialistas, no Fórum Econômico Mundial

Fotos: Divulgação

- PUBLICIDADE -

Com grande atuação em mídias sociais, direitos humanos e políticas de segurança online, o professor pesquisador do Programa de Pós-Graduação em Direito (PPGD) da Unesc e do curso de Direito, Gustavo Borges, foi escolhido para participar do grupo consultivo de especialistas da Global Coalition for Digital Safety (Coalizão Global para Segurança Digital). Borges é o único da América Latina a compor a seleção de profissionais e faz parte da equipe que definirá as diretrizes do Metaverso a serem apresentadas no World Economic Forum (Fórum Econômico Mundial), em Davos, na Suíça, em 2023.

 

- PUBLICIDADE -

> Clique aqui e receba as principais notícias do sul catarinense no WhatsApp

A Global Coalition for Digital Safety é uma plataforma público-privada para cooperação global e de várias partes interessadas para desenvolver inovações e colaborações avançadas que lidam com conteúdo e conduta online e conta com três grandes focos: princípios globais para a segurança digital, kit de ferramentas para intervenções e inovações de design de segurança digital e estrutura de avaliação de riscos de segurança digital.

“Nestes 54 anos, a Unesc, que é reconhecida como de excelência pelo Ministério da Educação (MEC) tem importante papel na sociedade com forte destaque nacional e internacional. Com o grande compromisso de melhorar as condições de vida das pessoas e a vida em sociedade, a Universidade, participa ativamente de importantes debates. E esse é um espaço muito importante que vai trazer ações enriquecedoras. Estamos muito felizes em ter um professor da Unesc sendo destaque e levando a nossa Universidade a diferentes patamares e fundamentais debates como esse, que é o Metaverso”, enalteceu a reitora Luciane Bisognin Ceretta.

Para o professor, é uma honra fazer parte desse grupo composto por pessoas de vários países que vão apresentar um relatório sobre o Metaverso, no Fórum Econômico Mundial, na Suíça, no início do próximo ano. “Estamos definindo, em conjunto, as atividades a serem realizadas. Esse grupo, composto por cerca de 50 pessoas, conta com lideranças globais, presidentes e representantes de empresas e de mídias sociais”, comentou o professor, que integra, como Consultor Externo, a equipe Governança do Metaverso.

Segundo ele, o foco do grupo é dar viabilidade e buscar soluções ou políticas para tornar o Metaverso seguro. Esse tema, que busca unir o mundo real e virtual, é um dos grandes assuntos da atualidade. “Como já pesquiso sobre o Metaverso e direitos humanos estou nesse grupo, o que é motivo de muito orgulho. Nossos encontros serão mensais”, destacou Borges.

O que é o Fórum?

O Fórum Econômico Mundial (FEM) é uma organização internacional localizada em Genebra, na Suíça, responsável pela organização de encontros anuais com a participação e colaboração de líderes mundiais, economistas importantes, investidores, empresários, e figuras de destaque nos meios econômico, político e social. Os encontros são realizados, em sua maioria, na cidade suíça de Davos e, em razão disso, também são conhecidos como Fórum de Davos.

Segundo os próprios organizadores, o principal objetivo do Fórum Econômico Mundial é “melhorar a situação do mundo”, por meio de ações tomadas e executadas por líderes mundiais, grandes economistas, investidores e empresários.

O Fórum prioriza basicamente três pontos em relação às questões mundiais: a economia, a política e as relações sociais. Alguns exemplos de personalidades que já participaram do FEM são Nelson Mandela, Bill Gates, e astros de Hollywood, como Angelina Jolie e Leonardo di Caprio, que defendem questões sociais e ambientais.

*Via Unesc

 

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.