Satc vai à Israel em busca de novas soluções de zero carbono

Visita faz parte do processo de implantação da Cidade do Conhecimento em Criciúma

Foto: Filipe Gabriel

- PUBLICIDADE -

A equipe de inovação da Satc vai para Israel nos próximos dias em busca de novas soluções de baixo carbono – ou carbono zero. A visita faz parte do processo de implantação da Cidade do Conhecimento em Criciúma. Conhecendo as tecnologias já utilizadas no País do Oriente Médio, a instituição poderá fazer parcerias com empresas israelenses e aplicar os modelos de inovação sustentável na cidade carbonífera.

> Clique aqui e receba as principais notícias do sul catarinense no WhatsApp

- PUBLICIDADE -

Embarcarão em busca de inovação e conhecimento, o diretor executivo da Satc, Fernando Luiz Zancan, o reitor da instituição, Carlos Antônio Ferreira, e o head de Inovação, Gustavo De Lucca. Investidores do projeto e empresários da região também acompanharão a visita. No itinerário da viagem, estão a visita ao Parque Tecnológico em Beer-Sheva, à Universidade Ben-Gurion, às iniciativas de inovação na área da saúde e ao modelo que chamam de ‘Startup Nation’, que é a cultura de inovação que fez Israel se tornar referência no mundo.

Segundo o head de Inovação da Satc, a ideia é conhecer o modelo de gestão e de fazer inovação que é aplicado em Israel. “O Parque Tecnológico de Beer-Sheva foi construído em cima do nada e hoje conta com seis blocos e mais de 3 mil pessoas trabalhando lá. Queremos conhecer esse ecossistema de inovação e trazer modelos que eles já implementaram lá e que fazem sentindo para implementarmos aqui”, conta De Lucca.

A visita é mais um passo dado em direção a construção da Cidade do Conhecimento. O distrito de inovação está em fase de pesquisa de campo, na qual a BaseCamp, que é o grupo israelense responsável pelo desenvolvimento do projeto, está coletando informações sobre a região.

Sobre a Cidade do Conhecimento  

A Cidade do Conhecimento é um projeto da Satc, que junto com a BaseCamp e mais dez parceiros, visa criar um distrito de inovação em Criciúma. A proposta envolve, portanto, uma área de 70 hectares que terá uma cidade inteligente sustentável no ponto de vista de geração de energia, com emissão zero de carbono e reutilização de água da chuva.

 Além disso, o local terá um grande centro de eventos, hotéis, apartamentos residenciais e estrutura de lazer para que os integrantes possam morar no distrito.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.