Moody’s atribui classificação A+ para Unicred Centro Sul

Avaliação foi realizada por uma das maiores agências de classificação de risco do mundo

Foto: Arquivo

- PUBLICIDADE -

A solidez e a eficiência do sistema financeiro da Unicred Centro Sul foram responsáveis por garantir, à instituição, a classificação A+ em uma avaliação feita pela Moody’s – uma das mais famosas e influentes agências de classificação de risco do mundo. A nota comprova a segurança, a confiabilidade e a força da cooperativa, que recentemente também obteve a nota A-(bra) na avaliação internacional da Fitch Ratings.

> Clique aqui e receba as principais notícias do sul catarinense no WhatsApp

- PUBLICIDADE -

Este resultado, aponta o diretor executivo da Unicred Centro Sul, Marcelo Lima, chancela todo o trabalho que vem sendo realizado nos últimos anos. “Esta é uma análise feita por um agente externo e isento, que nos qualifica ainda mais. Também é importante pelo momento em que estamos vivendo, com a expansão para Brasília e Paraná. Como somos novos nestas praças, uma classificação positiva de risco de crédito acaba atraindo novos investidores e transmitindo maior segurança para quem já investe”, explana Marcelo.

De acordo com a Moody’s, a nota atribuída à instituição reflete sua carteira de crédito com diversificação na oferta de produtos, boa qualidade de ativos, com baixa inadimplência e adequada cobertura da carteira de crédito. A avaliação também incorpora a rentabilidade elevada e sua estrutura de captação estável e de baixo custo. Além do benefício de estar inserida no Sistema Unicred, o que possibilita a gestão centralizada e ganhos de escala em sua operação. “Somos uma das poucas cooperativas no país que tem classificação ‘A’, e o melhor, e por duas das principais agências do mundo. Isso representa muito, mostra que estamos trilhando o caminho certo”, aponta executivo.

A Unicred Centro Sul caminha para o fim de 2022 com mais de 17 mil cooperados e R$ 1 bilhão em carteira de empréstimos. Também atingiu a marca de R$ 2,2 bilhões em recursos administrados, tudo isso mantendo uma inadimplência de 0,7%. “Uma média muito abaixo do mercado, o que demonstra a nossa força e segurança para a continuidade e futuros investimentos”, complementa Marcelo.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.