Diálogos da ExpoMais abordam Transição Energética, inovação e tecnologia

Especialistas foram convidados para discutir temas relacionados aos eixos principais do evento

Texto: Alfa Comunicação e Conteúdo

- PUBLICIDADE -

Integrando a programação paralela da ExpoMais 2022, os Diálogos promoveram trocas, entregaram conteúdo de qualidade e tiraram dúvidas dos participantes. Um dos temas abordados foi a Transição Energética Justa, assunto em alta desde janeiro de 2022, quando foi sancionada a Lei 14.229, que criou o Programa de Transição Energética Justa.

> Clique aqui e receba as principais notícias do sul catarinense no WhatsApp

- PUBLICIDADE -

Um prazo de 18 anos foi estipulado para que a região Sul do Estado possa se preparar e substituir o uso de combustíveis fósseis na geração de energia elétrica. Pedro Litsek, CEO da Diamante Geração de Energia, gestora do Complexo Jorge Lacerda, foi um dos participantes e lembrou que a região gera 20 mil empregos diretos relacionados ao carvão mineral.

Portanto, embora latente, a transição energética deve ser feita com cautela, reduzindo os impactos socioeconômicos. “Ela precisa ocorrer, mas não pode ser feita à custa de desequilíbrio social”, pontuou Litsek.

O presidente da Câmara de Meio Ambiente e Sustentabilidade da Fiesc, José Magri, também participou do Diálogo e reforçou sobre a importância de discutir possibilidades para reduzir o uso de combustíveis fósseis como o petróleo e o carvão, por exemplo, principais causadores do efeito estufa. “Precisamos encontrar alternativas para o uso de combustíveis ou tecnologias que auxiliem a reduzir a emissão ou concentração dos gases”, explicou.

Também foi convidado ao debate o representante do Governo de Santa Catarina no Conselho Nacional de Transição Energética Justa, Anderson Miguel Chaves de Cordeiro, que explanou sobre o Plano de Transição, sob responsabilidade do Conselho, com ações, indicação dos responsáveis dentro das competências de cada parte, prazos e, quando couber, fontes de recursos.

Inovação e Tecnologia

A professora doutora Débora Oliveira da Silva comandou o Diálogo sobre Inovação e Tecnologia e apresentou exemplos práticos de como metodologias ágeis e transformação digital podem fazer diferença e impulsionar as empresas.

Segundo ela, quando falamos de inovação, algumas palavras vêm à nossa mente, como tecnologia, melhorias, mudança de mentalidade. “Só não podemos nos limitar acreditando que só inovamos se tivermos muita tecnologia ou recursos em mãos”, alertou a especialista.

“Inovação é fonte de vantagem competitiva, é mais do que tecnologia, não depende somente de pesquisa e desenvolvimento, é fruto de trabalho sistemático, processo organizável e gerenciável”, destacou Débora.

O Diálogo contou ainda com as presenças do professor doutor Daniel Pacheco Lacerda;  do diretor de Desenvolvimento Econômico de Criciúma, Aldinei João Potelecki; e do presidente do comitê de implantação do Centro de Inovação de Criciúma – CRIO, Valmir Cabral.

Realizada na Associação Empresarial de Criciúma de 8 a 10 de novembro, a sexta edição da ExpoMais teve apresentação de Sicredi e Diamante e contou com a cocriação de (Acic), Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Criciúma, Esucri, Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC) campus Criciúma, Prefeitura Municipal de Criciúma, Satc, Sebrae, Senac, Sesi/Senai, Unesc, Unibave e UniSul.

Texto: Alfa Comunicação e Conteúdo
Texto: Alfa Comunicação e Conteúdo
-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.