Colégio Unesc: 30 anos de contribuição com a educação da região

Instalada no campus da Universidade, instituição festeja data com os olhos no futuro. Série de reportagens produzida pela Agecom da Unesc destaca trajetória da escola


- PUBLICIDADE -

Há 30 anos um sonho se tornava realidade. As vozes infantis passavam se misturar às falas de adolescentes e adultos no campus da ainda Fundação Educacional de Criciúma (Fucri), mas que já trilhava o caminho para, no futuro, se tornar Unesc.

> Clique aqui e receba as principais notícias do sul catarinense no WhatsApp

- PUBLICIDADE -

Surgia naquela ocasião o Colégio de Aplicação (CAP) com a implantação do Ensino Médio em 1992 e do Ensino Fundamental completo um ano mais tarde.

A unidade educacional, que em 2012 passou a levar o nome da Universidade, cresceu, se consolidou e agora chega aos 30 anos de serviços prestados em excelente fase.

O Colégio Unesc faz parte da vida de muita gente. Genir Helena Mondardo que o diga. Ela ingressou na instituição em 1993 como estagiária e permaneceu na função de março a julho daquele ano, passando a auxiliar de serviços pedagógicos. Em 2001 se tornou a secretária do Colégio, função que ocupou por 20 anos.

Para não perder as contas: foram 28 anos de dedicação à unidade educacional. “Apesar de que certas atribuições se repetem, até mesmo diariamente, em secretaria de escola não há rotina. Cada dia é um novo desafio que se apresenta, um novo aprendizado, há contato com novas pessoas diariamente. E isso sempre me encantou.  Sempre gostei do serviço burocrático. Além de gostar do que fazia, trabalhar no Colégio Unesc, e na Universidade, era gratificante. Estar na Unesc é um diferencial, uma experiência singular, ainda mais em um ambiente escolar, em contato com crianças, adolescentes e jovens. Matricular filhos de ex-alunos, reencontrar ex-alunos e saber de sua carreira profissional de sucesso, de suas famílias formadas, é recompensador”, descreve.

Mudanças

Tanto tempo atuando na instituição permitiu que Genir presenciasse diversas alterações. “Pude acompanhar muitas mudanças tanto na estrutura física, quanto no quadro de pessoal, na forma de gestão. Até o nome foi alterado: iniciou como Colégio de Aplicação da Fucri. Com a transformação em universidade, mudou para Colégio de Aplicação da Unesc.  No ano de 2012 trocou de nome, passou a se chamar Colégio Unesc”, conta.

O então Colégio de Aplicação iniciou as atividades onde hoje se localiza a Biblioteca e o Museu de Zoologia da Universidade. Em 1993 se mudou para as dependências onde atualmente é o Complexo Esportivo. De 2000 a 2010 os alunos do Ensino Médio frequentavam as aulas nos blocos da Universidade: Bloco N, Bloco O, Bloco I.  A partir de 2011 o Ensino Médio passou a ter aulas no Bloco T.

Orgulho pela semente que dá frutos

A história do Colégio Unesc e a forma como ele se fortalece a cada dia é motivo de orgulho para a reitora Luciane Bisognin Ceretta. Desde que assumiu a gestão, conforme ela, um de seus projetos se volta à escola. “Tenho muito respeito e admiração pela história do Colégio Unesc. Me orgulho por ter acompanhado grande parte desta caminhada e ainda mais por ter apostado e investido atenções especiais por essa causa que hoje dá lindos frutos”, comenta.

Luciane liderou uma intensa repaginação na escola ao longo dos últimos anos, o que tem culminado e dado resultados expressivos em qualidade do ensino e na busca por vagas em todas as séries com as quais atua. “Sentimos a necessidade de reequilibrar, replanejar a rota para o caminho que o futuro e o presente nos apontavam. Hoje tenho a convicção de que fizemos o esforço necessário e correto, à altura do que nosso colégio merece e pode oferecer ao integrar uma grande universidade. As experiências vividas aqui são, visivelmente, sem igual. Fico feliz por cada vez mais pessoas estarem se dando conta disso e aproveitando esta oportunidade”, destaca a reitora, orgulhosa de mais este fruto que dá certo.

O Diretor de Ensino de Graduação da Unesc e ex-diretor do Colégio, Marcelo Feldhaus, concorda com a reitora ao afirmar que nestes 30 anos de existência a escola se consolidou como um importante território dentro da Universidade. “O decorrer dos anos propiciou amadurecimento da comunidade acadêmica e desenvolvimento do Colégio Unesc. Temos uma escola com experiência de Universidade. É um colégio privilegiado em termos de estrutura e diferenciado em termos de proposta pedagógica”, cita Feldhaus, acrescentando que a proposta pedagógica citada trabalha com aprendizagem baseada em projetos envolvendo todos os níveis: Anos Iniciais, Anos Finais e Ensino Médio. “Recentemente agregamos ao Colégio Unesc a escola técnica, o UnescTec com 21 cursos técnicos. Ele amplia significativamente a oferta da educação básica pela Unesc e corrobora como um importante espaço para experiências pedagógicas articuladas às diferentes áreas do conhecimento”, observa.

Data para ser celebrada em grande estilo

“Trintar”, como muitos gostam de indicar o fato de chegar aos 30 anos, merece uma comemoração especial. Por isso, o Colégio Unesc, o novo “trintão”, não terá somente um dia ou um mês de celebração, mas sim, um ano inteiro.

Nesta quarta-feira (09/03) um evento interno deu a largada às festividades. No pátio, os alunos do colégio entoaram o tradicional “Parabéns a Você” diante de um bolo e de balões.

A partir de agora todas as iniciativas tradicionais da escola ao longo de 2022 serão alusivas ao aniversário, culminando em um evento de celebração no fim do ano, tudo isso sem esquecer da rotina de estudos, como aponta a diretora Giselle dos Passos Vieira. “Uma escola não chega aos 30 anos sem a participação de muitas pessoas, então a nossa intenção é fazer um resgate histórico de todos aqueles que passaram pelo colégio. Temos várias personalidades que atuam na transformação da nossa sociedade que passaram pela escola. Vamos trazer estas pessoas para que os nossos alunos conheçam, para ver como a escola está e criar uma rede de conexões”, completa.

Fotos: Marciano Bortolin/Daniela Savi/Décio Batista/Agecom/Unesc

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.