(Vídeo): ação de criminosos em São Paulo lembra mega-assalto em Criciúma

Assim como em Santa Catarina, bandidos sitiaram a cidade durante a madrugada, atiraram no batalhão policial e fugiram em comboio luxuoso

Foto: Divulgação

- PUBLICIDADE -

Um grupo fortemente armado explodiu, na madrugada desta quarta-feira (7), três agências bancárias do município de Mococa, em São Paulo. Os criminosos ainda usaram explosivos e atiraram em lojas antes de fugirem. Até por volta de 7h, ninguém havia sido preso.

Na ação, um guarda municipal ficou ferido ao ser atingido por estilhaços, ele recebeu atendimento e não corre risco de vida.

- PUBLICIDADE -

Cerca de três agências bancárias foram atacadas pelo bando, segundo o gestor municipal. Moradores registraram os tiros e filmaram homens armados andando pela cidade e parados em esquinas.

Após atacar as instituições financeiras, o grupo circulou por algumas ruas, atirando contra lojas. Testemunhas relataram ao G1 que muitos tiros e explosões foram ouvidos em toda a cidade durante a ação criminosa.

Câmeras de segurança também registraram carros usados pela quadrilha circulando em conjunto por Mococa. Segundo informações da Polícia, os suspeitos utilizaram entre oito à 10 veículos para fugir por uma estrada que leva ao distrito de Igaraí.

A investigação ainda não informou qual foi o valor em dinheiro roubado pela quadrilha. Um inquérito será instaurado nesta quarta-feira para apurar o caso, e a Polícia Federal ficará responsável pela investigação pelo ataque à agência da Caixa Econômica Federal.

Assalto em Criciúma 

Em Criciúma, a ação com pelo menos criminosos, dez automóveis e armamento de calibre exclusivo das Forças Armadas, em novembro de 2020, foi considerado o maior roubo de Santa Catarina.

Os criminosos atacaram o 9° Batalhão da Polícia Militar com tiros nas janelas, bloqueio na saída com caminhão em chamas e explosão acionada pelo celular. A ação durou cerca de duas horas.

Via Diário do Nordeste 

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.