Sangão: Polícia Civil deflagra operação ‘Vale do Silício’, com prisões

Ação tem objetivo de combater fraudes em licitações e compras diretas ilícitas ligadas à aquisições de equipamentos e serviços de informática pelo Município

Foto: Divulgação

- PUBLICIDADE -

Na manhã desta segunda feira (02), a Polícia Civil desencadeou a operação “Vale do Silício”, em Sangão, Sul do Estado. Foram cumpridos cinco mandados de busca e apreensão e dois empresários foram presos em cumprimento de mandados de prisão temporária. A ação é 2ª Delegacia Especializada no Combate à Corrupção (DECOR/PCSC).

A investigação começou há cerca de nove meses e apura dezenas de fraudes em licitações, além de compras diretas ilícitas e outros delitos associados, ligados à aquisições de equipamentos e serviços de informática pelo município.

- PUBLICIDADE -

As contratações a partir do ano de 2013 somam mais de R$ 2.2 milhões em pouco mais de oito anos, volume que motivou o nome da operação em alusão à região norteamericana que é referência mundial no ramo de informática.

Além das prisões e buscas, atendendo aos pedidos da Polícia Civil, a Justiça decretou o afastamento temporário de um servidor, a suspensão dos contratos vigentes das empresas envolvidas e o bloqueio de R$ 1,1 milhão em bens e valores.

As investigações continuam para elucidar os fatos e identificar outros envolvidos. A operação contou com o apoio do Instituto Geral de Perícias e de policiais civis da DIC e DTCA de Tubarão.

Operação “Sargento Vitto II” – do Gaeco

O Ministério Público, através  da  1ª Promotoria de Justiça de Jaguaruna, que acompanha as duas investigações, auxiliou na organização para que as operações ocorressem na mesma data. Embora apurem delitos e envolvidos distintos, a deflagração em separado poderia comprometer os resultados.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.