Polícia prende homem envolvido em latrocínio ocorrido em Morro da Fumaça

Após três meses de investigação, a Polícia Civil elucidou totalmente o latrocínio envolvendo o taxista de Içara Paulo Marques, encontrado morto no dia 31 de março na Mina Visconde

Foto: Divulgação/ Polícia Civil
- PUBLICIDADE -

Após três meses de investigação, a Polícia Civil elucidou totalmente o latrocínio envolvendo o taxista de Içara Paulo Marques, encontrado morto no dia 31 de março na Mina Visconde, em Morro da Fumaça. No dia 5 de maio, os delegados Ulisses Gabriel e Antônio Márcio Campos Neves representaram a prisão de um homem de 32 anos de idade, suspeito de participar do crime. Foragido para o Estado de São Paulo, ele foi preso em Itapecerica da Serra.

As investigações continuaram em parceria com o Ministério Público Estadual, chegando ao envolvimento de um jovem de 21 anos da idade. Ele teve a prisão temporária expedida na quarta-feira (7), e foi detido na manhã desta quinta-feira (8) em Criciúma por policiais civis de Morro da Fumaça e Urussanga. O suspeito será interrogado para conclusão do inquérito policial.

- PUBLICIDADE -

Relembre o caso

No dia 31 de março, Paulo Marques, um dos mais conhecidos taxistas de Içara, desapareceu no início da manhã. Aos 67 anos, ele havia saído pela manhã para atender uma corrida e desde então não teve mais contato com a família. O veículo, um Corolla, foi localizado por volta das 14h30 na Rua Tereza Cristina, no bairro Brasília, em Criciúma. O carro estava abandonado e com a parte frontal batida.

Os criminosos subtraíram R$ 10,8 mil e mataram o taxista enquanto ele dirigia. Antes, eles haviam feito três corridas com o taxista para pegar drogas e ir em um motel de Içara usar.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.