Monitora de estacionamento rotativo é agredida em Araranguá

Boletim de Ocorrência foi registrado nessa semana, na Polícia Civil de Araranguá

Foto: Arquivo/TN
- PUBLICIDADE -

Érik Borges

Araranguá

- PUBLICIDADE -

Uma monitora do estacionamento rotativo de Araranguá foi agredida nessa semana, por uma mulher. Ela teria apresentado insatisfação com a profissional com relação a um procedimento de notificação. A ocorrência foi registrada na área central do município.

De acordo com Maria Regina Pereira Espindula, diretora do Departamento Municipal de Trânsito de Araranguá, que administra o rotativo, um casal estacionou o veículo e a monitora se apresentou para vender o cartão.

Após isso, a esposa falou que não iriam comprar. Diante do fato, a monitora informou que, caso não fosse feito isso, ela teria que fazer o aviso de irregularidade. “A senhora ficou brava, pediu o cartão e deu R$ 50, achando que a monitora não teria troco. Ela fez o troco e entregou junto com o cartão”, relata Maria Regina.

Na sequência, a mulher colocou o bilhete na bolsa. Mas a monitora alertou que a senhora precisaria raspar e colocar no veículo o ticket. “A Ela falou que não ia colocar. Novamente, a monitora falou que se não colocasse, iria colocar o aviso de irregularidade”, conta Maria Regina.

Apesar do aviso, a mulher não colocou o bilhete no veículo, conforme manda o procedimento, e entrou na loja. Diante disso, a monitora fez o aviso. “Quando a mulher viu, saiu da loja e agrediu a monitora, tentou bater no rosto. A monitora se defendeu e, ao se virar, a agressora deu uma “bolsada” nas costas da monitora”, informa Maria Regina.

As atendentes de uma loja presenciaram a cena e orientaram a monitora a realiza o Boletim de Ocorrência (B.O.), que foi realizado na Polícia Civil, que poderá responsabilizar a agressora através de representação criminal.

Conforme a diretora de Trânsito de Araranguá, não é a primeira vez que isso acontece. Segundo ela, quando o rotativo era administrado por uma empresa terceirizada, aconteceu mais de uma vez casos semelhantes. “Eu pretendo fazer um trabalho educativo e de conscientização. Porque é o cúmulo, uma pessoa ser agredida por trabalhar”, pontua Maria Regina. Atualmente, o estacionamento rotativo conta com 18 monitores.

Outro caso no Extremo Sul

Essa é a segunda vez que uma monitora do estacionamento rotativo é agredida na região. Ainda na Amesc, em fevereiro do ano passado, em Sombrio, uma funcionária sofreu agressões verbais e físicas.

A ocorrência foi registrada na Avenida Getúlio Vargas, no Centro, Na ocasião, ela relatou que o condutor de um veículo Toyota/Hilux não tinha o cartão de estacionamento do rotativo, o que gerou a notificação.

Porém, no momento em que ela preenchia a notificação, o condutor começou a proferir xingamentos ela. Além disso, ele jogou o dinheiro no chão, derrubou os blocos que a monitora estava segurando e a puxou pelo braço, além de empurrá-la. A Polícia Militar atendeu a ocorrência e identificou o agressor.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.