Maracajá: preso terceiro suspeito de envolvimento com “Roubo em Malote”

Jovem de 19 anos tinha dois mandados de prisão, por Roubo e por Tráfico de Drogas

Foto: Divulgação/ Policia Civil

- PUBLICIDADE -

As Polícias Civil e Militar de Araranguá prenderam na tarde de hoje (14), em Criciúma, o
terceiro suspeito de participar de dois roubos no município de Maracajá, praticados em
janeiro e julho deste ano. O jovem, de 19 anos, era apontado como um dos responsáveis
por organizar os crimes de “Roubo de Malote”. Ele também estava foragido desde o final de
julho, após ter sua prisão preventiva decretada por envolvimento com tráfico de drogas.

O suspeito, morador de Araranguá, foi identificado em investigação realizada pela DIC de
Araranguá, Delegacia de Maracajá, com o apoio da Polícia Militar, que apurou os crimes de
roubo ocorridos em Maracajá e que resultaram na prisão de outros dois suspeitos no início
do mês. Na época, o suspeito não foi localizado e já era considerado foragido, existindo um
Mandado de Prisão em aberto por Tráfico de Drogas. O Delegado Jair Pereira Duarte,
Coordenador da DIC, representou pela prisão preventiva do jovem, sendo o pedido atendido pelo Poder Judiciário.

- PUBLICIDADE -

Desde então, as investigações foram intensificadas, com a localização de seu atual
paradeiro, na cidade de Criciúma. Na tarde de hoje, foi montada uma operação entre os
policiais da DIC e do do 19º BPM da Polícia Militar de Araranguá, com o apoio da PM de
Criciúma, que resultou na prisão do suspeito. Em buscas em seu apartamento, foram
apreendidas porções de maconha. No final do mês de julho, o jovem fugiu de uma abordagem da Polícia Militar que resultou na apreensão de 22 kg de maconha que estavam sendo transportadas em um veículo para Araranguá. O motorista do carro foi preso em flagrante e, no mesmo procedimento policial, foi representado pela prisão preventiva do jovem. Desde 31 de julho ele era procurado pela polícia.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.