Criminosos mortos em operação da PM eram de ao menos 5 estados

Polícia concluiu a identificação de 10 dos 26 corpos que deram entrada no IML de BH após confronto com a polícia no sul de Minas

DIVULGAÇÃO/ PM

- PUBLICIDADE -

Subiu para dez o número de corpos identificados após confronto entre uma quadrilha especializada em assaltos a banco e a polícia na zona rural de Varginha, a 320 quilômetros de Belo Horizonte.

> Clique aqui e receba as principais notícias do sul catarinense no WhatsApp

- PUBLICIDADE -

A operação policial que surpreendeu os criminosos ocorreu no domingo (31), e os corpos de 26 mortos foram trazidos para identificação no IML (Instituto Médico-Legal) da capital mineira.

Até o momento, de acordo com a Polícia Civil, o trabalho de reconhecimento dos corpos foi feito pelo instituto de identificação do órgão e pela Polícia Federal. Os corpos continuam no IML de Belo Horizonte, e os trabalhos de identificação dos demais 16 participantes seguem neste feriado.

Entre os mortos identificados até o momento, seis são de Minas Gerais – três de Uberaba e dois de Uberlândia. Há ainda pessoas vindas de outros estados, como Goiás, Maranhão, Rondônia e Amazonas. Todas as vítimas são homens com idade entre 24 e 37 anos.

Confira a lista de identificados até o momento:

1. Artur Fernando Ferreira Rodrigues, 27 anos, Uberaba (MG)
2. Dirceu Martins Netto, 24 anos, Rio Verde (GO)
3. Gerônimo da Silva Sousa Filho, 28 anos, Porto Velho (RO)
4. Gilberto de Jesus Dias, 29 anos, Uberlândia (MG)
5. Gleisson Fernando da Silva Morais, 36 anos, Uberaba (MG)
6. Itallo Dias Alves, 25 anos, Uberaba (MG)
7. José Filho de Jesus Silva Nepomuceno, 37 anos, Caxias (MA)
8. Nunis Azevedo Nascimento, 33 anos, Novo Aripuanã (AM)
9. Raphael Gonzaga Silva, 27 anos, Uberlândia (MG)
10. Thalles Augusto Silva, 32 anos, Uberaba (MG)

 

Profissionais que atuam no IML de Belo Horizonte utilizam um protocolo semelhante ao que foi usado na identificação de vítimas de Brumadinho para conseguir reconhecer os corpos de integrantes de uma quadrilha qua planejava um mega-assalto em Varginha.

Os corpos das 26 pessoas deram entrada no IML da capital mineira entre a noite de domingo e a madrugada desta segunda-feira (1º) após uma troca de tiros na zona rural da cidade do sul de Minas. Agora os corpos são numerados e passam por necropsia, para que possam ser identificados.

O médico-legista à frente do processo de identificação, Marcelo Mari, classificou a ação realizada no IML como uma “operação de desastre de massa”, por causa do grande número de corpos enviados ao local praticamente de forma simultânea.

*Com informações do R7

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.