Criciúma/Içara: homem é preso por homicídio e assaltos

Em um dos roubos, na fuga, a dupla de suspeitos ainda atropelou e matou um pedestre no centro de Criciúma

Polícia Civil Divulgação
- PUBLICIDADE -

Criciúma/Içara

Nesta segunda-feira, dia 18, a Divisão de Repressão à Roubos da Polícia Civil de Criciúma (DRR/DIC-PCSC), coordenada pelo Delegado Yuri Miqueluzzi, concluiu investigação de roubos ocorridos em Criciúma e Içara. Em um dos roubos, na fuga, a dupla de suspeitos ainda atropelou e matou um pedestre no centro de Criciúma.

- PUBLICIDADE -

Os investigados, 24 e 23 anos, são apontados como autores de roubo contra um taxista no bairro Presidente Vargas em Içara, em julho do ano passado. Logo após o roubo do veículo do motorista, uma guarnição de policiais militares localizou a dupla guiando o carro subtraído no centro de Criciúma.

As ordens de parada não foram obedecidas e houve perseguição. Na fuga, em alta velocidade, a dupla atropelou um pedestre, que não resistiu. Um dos autores foi capturado e preso em flagrante. O outro conseguiu fugir.

A investigação

Logo após o episódio, a Polícia Civil iniciou as investigações. O suspeito que empreendeu fuga foi identificado e houve representação pela sua prisão preventiva, que foi aceita pela Justiça. Foi ainda foi constatado que a dupla realizou outro roubo anterior em Criciúma.

Os dois foram indiciados pelos roubos e morte do pedestre. O Ministério Público ofereceu denúncia pelos crimes de roubos e homicídio doloso. Após diligências realizadas pela Polícia Civil, o foragido optou por se apresentar de forma espontânea na Delegacia de Polícia Civil, sendo realizado o cumprimento do mandado. Ele foi encaminhado ao presídio Santa Augusta e aguarda julgamento.

Prestaram apoio os agentes da Divisão de Repressão a Entorpecentes (DRE), Divisão de Investigação Criminal, Delegacia de Homicídios (DH), Central de Plantão Policial (CPP) de Criciúma e Delegacia de Polícia de Içara.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.