Criciúma: Gaeco cumpre mandados de busca e apreensão e prisão

Operação foi deflagrada no início da manhã dessa quinta-feira, no bairro Mina Brasil

Fotos: Divulgação/ GAECO/ Ministério Público do estado do Rio Grande do Sul
- PUBLICIDADE -

O Ministério Público do Rio Grande do Sul, por meio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco – Núcleo Serra), realizou na manhã dessa quinta-feira, dia 29, a Operação Galeria para coibir fraudes em licitações, lavagem de dinheiro e tráfico de drogas em Criciúma. Mandados de busca e apreensão e prisão foram cumpridos no bairro Mina Brasil.

A operação foi em conjunto com a Brigada Militar (pela Agência Regional de Inteligência – ARI/Serra), a fim de desarticular uma organização criminosa estabelecida em Caxias do Sul e região. A investigação tem como foco a atuação de líder de facção criminosa que coordenava as atividades criminosas do interior da Penitenciária Estadual de Caxias do Sul (Pecs), contando com uma rede de pessoas atuando no tráfico de drogas e na lavagem de dinheiro.

- PUBLICIDADE -

Foram cumpridas 64 ordens judiciais, sendo quatro mandados de prisão preventiva, 12 mandados de busca e apreensão e 42 medidas constritivas de indisponibilidade de imóveis e veículos. Os mandados foram cumpridos em Caxias do Sul, inclusive na cela do líder da facção, Vacaria e Criciúma, em Santa Catarina. Ao longo da investigação, já haviam sido presas sete pessoas ligadas ao grupo e haviam sido apreendidos 83 kg de entorpecentes, além de R$ 1.812.323,00 em espécie e seis veículos utilizados no tráfico de drogas.

A operação contou como apoio do 4º Batalhão de Polícia de Choque, Força Tática e Canil do 12º BPM, Grupamento Aéreo da Brigada Militar de Caxias do Sul, Força Tática do 10º BPM, Polícia Rodoviária Federal (PRF), Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe), Secretaria de Administração Penitenciária (Seapen), Gaeco do Ministério Público de Santa Catarina (Núcleos Criciúma e Florianópolis) e Polícia Militar de Santa Catarina (9º BPM).

Via GAECO/ Ministério Público do estado do Rio Grande do Sul

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.