Urussanga: Operação Benedetta segue ao MPF

Após o encerramento do inquérito da Polícia Federal, caso fica aos cuidados do órgão que definirá se entra ou não com denúncia contra o prefeito de Urussanga


- PUBLICIDADE -

Tiago Monte

Urussanga

- PUBLICIDADE -

A Polícia Federal (PF) concluiu o inquérito sobre o afastamento do prefeito de Urussanga, Gustavo Cancelier (PP). Na investigação, foram indiciadas 14 pessoas, entre servidores públicos municipais, engenheiros e empresários, pela prática dos crimes de organização criminosa; desvio de recursos; extravio, sonegação ou inutilização de livro ou documento; falsidade ideológica e peculato.

A partir de agora, o caso segue ao Ministério Público Federal (MPF) que avaliará se entra ou não com denúncia contra Cancelier, que está afastado do cargo. No documento entregue pela PF à Justiça Federal, o relatório final traz a denúncia de superfaturamento superior a R$ 640 mil. O alvo das investigações é a Prefeitura de Urussanga. A operação ocorreu em 20 de maio. “As investigações possibilitaram constatar a execução de obras públicas em desacordo com os projetos. Em apenas duas das obras realizadas com recursos do Finisa[Financiamento à Infraestrutura e ao Saneamento] os exames periciais identificaram a prestação de serviços superfaturados em valor superior a R$ 640 mil”, informou a PF.

A operação teve como principal objetivo averiguar as irregularidades e desvios do prefeito, que tinha a conspiração do irmão, Silvio Cancelier, além de outros servidores públicos. A investigação, que deve continuar, conta que há uma organização criminosa, envolvendo documentos falsos e outras questões. “As penas, que culminadas podem chegar a 29 anos de reclusão, podem variar e não necessariamente serão imputadas de maneira igual a todos os envolvidos, pois cada investigado responderá na medida de sua culpabilidade”, diz a nota da PF.

Confira a nota completa emitida pela Polícia Federal

“Nesta segunda-feira (13/09/21), a Polícia Federal encaminhou à Justiça Federal o relatório final do inquérito policial decorrente da Operação Benedetta, deflagrada em 20/05/2021. As investigações possibilitaram constatar a execução de obras públicas em desacordo com os projetos. Em apenas duas das obras realizadas com recursos do Finisa, os exames periciais identificaram a prestação de serviços superfaturados em valor superior a 640 mil reais. 

No inquérito policial, iniciado em setembro de 2020, foram indiciadas 14 pessoas, entre servidores públicos municipais, engenheiros e empresários, pela prática dos crimes de organização criminosa; desvio de recursos; extravio, sonegação ou inutilização de livro ou documento; falsidade ideológica e peculato. As penas, que culminadas podem chegar a 29 anos de reclusão, podem variar e não necessariamente serão imputadas de maneira igual a todos os envolvidos, pois cada investigado responderá na medida de sua culpabilidade.

Delegacia de Polícia Federal em Criciúma/SC”

Relembre o caso que teve evidência em maio

No dia 20 de maio, mais de 70 policiais deflagraram a Operação Benedetta, que investiga possíveis desvios de recursos públicos em contratos da Prefeitura de Urussanga, cumprindo 18 mandados de busca e apreensão também em Orleans, Siderópolis, Criciúma e Tubarão. Os endereços são vinculados a empresas, órgãos públicos e também casas de empresários e de servidores públicos da prefeitura. A PF também apreendeu um carro usado pela primeira-dama de Urussanga, além de R$ 80 mil em um dos locais investigados.

O grande desdobramento, porém, ocorreu no fim da manhã daquele dia de maio. O Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) determinou o afastamento do prefeito de Urussanga, Gustavo Cancellier (PP), por 180 dias. Além dele, outros servidores e ex-servidores foram proibidos de entrar no Paço Municipal.

A investigação teve início em setembro de 2020, e a operação teve o objetivo de buscar novas evidências das possíveis fraudes que teriam ocorrido em obras de pavimentação, além de identificar a participação de servidores públicos nos fatos. Nos locais em que a PF realizou buscar, computadores, celulares e dinheiro foram apreendidos. A investigação continuou com análise dos documentos e materiais apreendidos.

Com o afastamento de Cancellier, o vice-prefeito Jair Nandi (PSD) assumiu o cargo. Ele se manifestou por meio de uma nota oficial, destacando que cumpre o que estabelece a Lei Orgânica do Município, e em função de determinação legal do TRF-4.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.