Segue o processo de privatização do Aeroporto de Jaguaruna

Expectativa do Governo do Estado é que processo seja finalizado até a metade do próximo ano

Fonte: Folha Regional
- PUBLICIDADE -

Até o meio de 2022, o Aeroporto Regional Humberto Ghizzo Bortoluzzi, em Jaguaruna, deverá estar sob administração da iniciativa privada. Essa é a expectativa do Governo do Estado, que deu início ao processo de concessão do aeródromo.

Ontem, foi encerrado o prazo para a inscrição dos interessados em realizar os estudos técnicos, econômicos, ambientais e jurídicos para a estruturação do projeto. A partir desta fase, a concessão começa a andar.

- PUBLICIDADE -

“Com os estudos em mãos, vamos proceder para a análise dessas pesquisas, desses levantamentos, selecionar o estudo mais adequado e a partir daí, fazer a edição dos documentos licitatórios para aí sim, entrar em fase de consulta pública, audiência pública e encaminhamento ao Tribunal de Contas do Estado de Santa Catarina”, explica o secretário executivo de Parcerias Público Privadas da SCPar, Ramiro Zinder.

Celeridade nas etapas

Os estudos de viabilidade estão entre as etapas mais importante, pois são eles que irão dar um embasamento para a preparação do edital de licitação. E no que depender da SCPar, empresa estatal que administra os portos e aeroportos de Santa Catarina, o processo deve ser rápido.

Isso porque a SCPar deve encerrar as atividades. “A expectativa é que nós possamos chegar até o final deste ano de 2021 com os encaminhamentos dos documentos licitatórios ao Tribunal de Contas do Estado e que no início de 2022, nós posamos fazer a licitação para a concessão desse equipamento. Temos a meta de que no primeiro semestre de 2022, tenhamos o contrato assinado com a futura concessionaria que vai fazer a operação e manutenção do Aeroporto Regional Sulem Jaguaruna”, adianta Zinder.

Investimentos

O aeroporto mudou a rotina no Sul do Estado. Desde que iniciou as operações, em 2015, o local recebeu cerca de 600 mil passageiros.

E com os novos investimentos que viriam por meio da concessão, a expectativa é de aumentar ainda mais esse número. “Temos por objetivo desenvolver o equipamento aeroporto, as melhorias necessárias em escadas, melhorias nos elevadores, nos fingers, que são necessários alguns investimentos”, explica o secretário executivo da SCPar.

A ideia é que o complexo receba opções de lazer, em menor escala que o FloripaAirport, mas nos mesmos moldes. “Vai fomentar também o desenvolvimento local, o desenvolvimento da região, uma vez que o equipamento passa a ser mais atrativo”, completa.

Terminal de cargas volta à pauta

Foram investidos mais de R$ 60 milhões para a instalação do aeroporto. O objetivo é que nas mãos da inciativa privada, o local ganhe melhorias constantes, recebendo um público ainda maior. Desta forma, também volta à pauta um sonho antigo: a construção de um terminal de cargas.

“Não tenha dúvida que o Governo do Estado de Santa Catarina tem feito investimentos em infraestrutura em todas as regiões, e não é diferente no Sul do Estado. Com esse investimento privado que está sendo planejado para o Aeroporto Regional Sul de Jaguaruna, inclusive pensando também na possibilidade de um terminal de cargas, que é uma possibilidade pelo potencial que existe não só no próprio aeroporto, mas na região como um todo”, adianta Zinder.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.