SC: deputados proíbem Estado de cobrar guincho de veículos roubados

Com a lei sancionada, o Estado, em vez de cobrar do cidadão, terá que fazer o ressarcimento às concessionárias que prestam o serviço de guincho e pátio

Delegado Ulisses Gabriel, autor da lei Foto: Divulgação
- PUBLICIDADE -

Quando o cidadão tem o carro roubado ou furtado em Santa Catarina, ele acaba tendo que pagar pelo guincho e por diárias no pátio até recuperar o automóvel. Mas essa cobrança deve acabar após aprovação de lei na Assembleia Legislativa nesta semana. A proposta, que proíbe que o Estado cobre a vítima, vai agora para sanção do governo catarinense.

“O cidadão é duplamente lesado. Não bastasse ser vítima, ainda é penalizado indevidamente ao ser obrigado a pagar para reaver o bem extraído. É um duplo prejuízo, pois o poder público foi ausente na garantia de segurança e ainda aplica uma taxa”, destaca o autor da lei, delegado Ulisses Gabriel, que ocupou uma cadeira no Legislativo no início de 2020 durante licença do deputado Milton Hobus (PSD).

- PUBLICIDADE -

Para ele, é dever do Estado cuidar do patrimônio do cidadão até a restituição. O delegado explica ainda que já há um amplo debate sobre a situação no mundo jurídico, já que o cidadão prejudicado pode recorrer na Justiça contra a cobrança e pela liberação do bem apreendido. A proposta também deve reduzir esse debate no Judiciário.

Com a lei sancionada, o Estado, em vez de cobrar do cidadão, terá que fazer o ressarcimento às concessionárias que prestam o serviço de guincho e pátio. O governo catarinense tem 15 dias para sancionar ou vetar a lei.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.