Projeto da Coopercocal é questionado no Legislativo

Presidente da cooperativa, engenheiro e demais integrantes compareceram ao local para detalhar investimento de R$ 15 milhões em nova linha de transmissão de energia elétrica

Foto: Guilherme Cordeiro / TN
- PUBLICIDADE -

Érik Borges

Cocal do Sul

- PUBLICIDADE -

Atendendo a um ofício do Poder Legislativo de Cocal do Sul, o presidente da Cooperativa Energética Cocal (Coopercocal) e demais integrantes compareceram à Câmara de Vereadores ontem para detalhar o projeto que visa a construção de uma nova linha de transmissão de energia elétrica no município. O investimento é de R$ 15 milhões e dependerá da aprovação em Assembleia, que será realizada nesta sexta-feira.

O pedido de detalhamento do projeto e comparecimento à Câmara gerou indignação do presidente da Coopercocal, Altair Lorival de Melo, o Belha. “Recebemos esse ofício com estranheza, pois em década, nunca um diretor ou presidente teve que ir para a Câmara dar satisfação. A cooperativa tem Conselhos Administrativo e Fiscal. Temos um trabalho sério e honesto, voltado aos associados”, declara Belha.

Em sua explicação, o presidente da cooperativa destacou que e essa rede se faz necessário porque, segundo ele, se continuar do jeito que está (atendido pela Celesc) em quatro anos Cocal do Sul não terá mais capacidade de fornecer energia para empresas de médio porte. “Para gerar emprego precisa de energia. E sem essa nova rede, não teremos energia. Daqui a pouco a Celesc irá comandar a energia no município, pois poderemos perder subsídios, fazendo com que a tarifa se torne mais cara que a tarifa da Celesc”, diz Belha.

Ele completou dizendo que quer fazer a obra para garantir a energia para a cidade em toda área de atuação da Coopercocal “Estamos adquirindo material da rede, ao longo do tempo, e quando a obra for executada, o material estará todo na casa (cooperativa). Em sete anos, a atual gestão realizou R$ 23 milhões em investimentos e a Coopercocal não tem dívida”, acrescenta Belha. Ele também contou que a cooperativa conta com R$ 3 milhões aplicados no banco e que isso é fruto de um trabalho honesto.

Nova linha pode diminuir tarifa em 15%

Um dos engenheiros da Coopercocal, Luciano Antunes revela que o projeto visa reduzir em até 15% o valor da tarifa de energia elétrica após a implantação da nova linha de transmissão. “Estamos com o projeto em fase inicial. A ideia é, no segundo semestre, irmos até as comunidades para apresentar a linha de transmissão, detalhar o projeto e explicar para todos entenderem e caminharem junto conosco. Afinal de contas, trata-se do futuro da nossa cooperativa”, declara Antunes.

Ele ressalta que, todos os dias, a cooperativa está com as portas abertas a todos que queiram dar sugestões e tirar dúvidas. “Estamos dobrando o condutor. Isso permite mais do que dobrar a atual carga. Estamos indo para praticamente 100 MVA. A Coopercocal projeta isso para os próximos 30 anos. Talvez até menos, mas isso irá depender das empresas que virão para cá, gerando empregos”, ressalta Antunes.

A vereadora autora do ofício, Maria Luiza da Rolt, do PP, afirmou que o questionamento do projeto não é em relação ao trabalho que vem sendo exercido e nem coloca em xeque a equipe técnica. “A gente conhece a realidade da Coopercocal e tudo é fruto de um trabalho que deu início já 15 anos graças a esforço de pessoas que fizeram projetos para corresponder às demandas que a Coopercocal atende. O ofício não é um pedido que possa se causar estranheza, é um pedido que costumeiramente acontece”, declara Maria Luiza.

Ela acrescenta que, como não há acesso ao projeto no site da cooperativa, o pedido se deu para que fosse obtido um conhecimento mais aprofundado sobre o assunto. Ela também disse que imaginava que o projeto já estivesse 100% concluído, tendo em vista que o pedido de empréstimo, se aprovado em assembleia, já será feito no valor de R$ 15 milhões.

“É um valor alto e considerável. Eu não tenho dúvida que a cooperativa possa pagar tendo em vista o lucro líquido. Esse ano a cooperativa apresentou sobra de quatro milhões. Entendo que a cooperativa possa bancar o projeto para garantir a energia atual e futura”, afirma Maria Luiza

Os vereadores não tiveram espaço para questionamento. De acordo com o presidente da casa, Luiz Francisco Honório (MDB), os vereadores poderão sanar as dúvidas diretamente na cooperativa. Porém, a vereadora Maria Luiza elencou alguns questionamentos, dentre eles: qual será a taxa de juros do empréstimo, o valor pago ao final, quantas parcelas serão geradas e se já foram feitos ao menos três orçamentos. “Além disso, trará redução na taxa de energia? Foi falado em 15%. Será que isso será repassado aos consumidores”, questiona Maria Luiza.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.