Presidente da Alesc acompanha visita do ministro da Saúde ao Oeste

Acompanhado do governador Carlos Moisés da Silva (PSL), do secretário de Estado da Saúde, André Motta Ribeiro, de parlamentares e autoridades municipais, o ministro veio ao estado para tratar das ações no combate à pandemia da Covid-19

Mauro de Nadal (e), ministro Pazuello e Carlos Moisés, na reunião em Chapecó. FOTO: Julio Cavalheiro/Secom
- PUBLICIDADE -

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Mauro de Nadal (MDB), participou da visita do ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, ao Oeste catarinense, nesta sexta-feira (5). Acompanhado do governador Carlos Moisés da Silva (PSL), do secretário de Estado da Saúde, André Motta Ribeiro, de parlamentares e autoridades municipais, o ministro veio ao estado para tratar das ações no combate à pandemia da Covid-19.

Pazuello esteve em Chapecó, onde se reuniu com autoridades do estado e dos municípios do Oeste. Mauro de Nadal também participou do encontro, realizado no Centro de Cultura e Eventos do município.

- PUBLICIDADE -

“Foi muito importante a vinda do ministro para o Oeste”, comentou o presidente da Alesc. “Pudemos fazer algumas constatações e encaminhamentos importantes sobre o enfrentamento da pandemia na região.”

Uma das principais constatações, conforme Nadal, foi a forte mobilização entre Estado e governo federal para socorrer os municípios do Oeste, que têm enfrentado dificuldades no atendimento hospitalar, em função da alta demanda. O presidente citou o caso de Irani, que encaminhou o pedido de reabertura de leitos de retaguarda no município.

“Houve uma sinalização positiva por parte do governador para esses leitos em Irani. Isso é muito importante, porque a região pode oferecer algo a mais para que a população possa se sentir mais segura”, comentou o deputado.

Nadal também destacou o esclarecimento do ministro sobre a aquisição de vacinas pelos municípios. Segundo o deputado, Pazuello deixou claro que a compra direta pelas prefeituras, no momento, é impossível, já que o governo federal tem a prevalência para a aquisição e a distribuição para todo o país.

“O governo federal tem um olhar igualitário para todos os cantos do país. Não terá município, por ter uma capacidade financeira maior, privilégio na compra da vacina”, destacou Nadal. “Isso é importante, porque os prefeitos passam a ter um pouco mais de segurança na questão das vacinas.”

Via Alesc 

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.