Plano de desenvolvimento regional volta à pauta na reunião de prefeitos

O presidente da Amrec e prefeito de Orleans, Jorge Koch, apresentou a coordenadora de projetos, a economista Rosana de Oliveira, que será responsável por “tirar o plano do papel”.

Foto: Divulgação Amrec
- PUBLICIDADE -

O plano de desenvolvimento regional, trabalho desenvolvido ao longo de 2020 pela Unesc e Unibave visando o planejamento da reunião para os próximos 10 anos, voltou à pauta na Assembleia Geral da Associação dos Municípios da Região Carbonífera (Amrec) dessa quinta-feira.

O presidente da Amrec e prefeito de Orleans, Jorge Koch, apresentou a coordenadora de projetos, a economista Rosana de Oliveira, que será responsável por “tirar o plano do papel”, descreveu o prefeito.

- PUBLICIDADE -

A reitora da Unesc, Luciane Ceretta, e o reitor do Unibave, Guilherme Valente de Souza, estiveram na reunião, além da coordenadora dos trabalhos, Gisele Coelho e os demais profissionais que trabalharam na confecção do plano estiveram presentes no encontro. As entidades firmaram compromisso de continuar colaborando com a execução do plano.

Os 12 municípios da Amrec vão indicar um representante para seguir com a mobilização interna. Esse representante fará a articulação interna, priorizando os projetos apontados no plano, vendo o status de cada projeto. “Ele vai acompanhar quais projetos estão em andamento, os que estão travados, os motivos porque eles não aconteceram. Trazendo isso para essa coordenação na Amrec, para viabilizar por aqui”, explica Rosana.

Paralelo a isso vai articular as redes de relações externas, associações e segmentos na economia, instituição de ensino, a organizações da sociedade Civil Organizada e ainda a Mobilização Política.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.