O Sul no mapa dos investimentos de SC

Desde o início do governo de Carlos Moisés, região já recebeu quase R$ 1 bilhão em ações e projetos em áreas como saúde, educação, segurança, obras de infraestrutura

Foto: Thiago Oliveira / TN
- PUBLICIDADE -

Há dois anos e meio, Carlos Moisés da Silva assumia o cargo de governador de Santa Catarina. E o Sul do Estado nunca recebeu tantos recursos quanto neste período. Foram quase R$ 1 bilhão em investimentos em áreas como saúde, educação, segurança ou obras de infraestrutura.

Resultados e entregas que melhoram a vida das pessoas e o desenvolvimento de toda a região. “Estamos priorizando investimentos que beneficiem todos os municípios. A infraestrutura é o nosso carro-chefe, porque ela é capaz de atrair investimentos, novas empresas e gerar emprego e renda para as pessoas. Estamos investindo cerca de R$ 800 milhões no Sul do Estado, entre obras que estão acontecendo ou estão em vias de serem lançadas. São valores nunca antes investidos na região. Nós estamos saneando as contas públicas para investir nas áreas essenciais, como saúde, educação, segurança e infraestrutura. É preciso vontade política para fazer essa virada de chave e direcionar os recursos para onde eles devem estar. É uma questão de respeito aos cidadãos”, destaca Moisés.

- PUBLICIDADE -

Os números impressionam. Segundo a Secretaria de Estado da Infraestrutura (SIE), desde 2019, já foram investidos cerca de R$ 654 milhões nesta área. Apenas nos trabalhos em andamento, esse valor chega aos R$ 124,74 milhões.

O maior montante foi na assinatura de convênios: R$ 288,8 milhões. Além disso, foram mais R$ 192,36 milhões em obras; R$ 128,07 milhões em obras civis; R$ 20,28 milhões na manutenção e conserva de rodovias; R$ 14,95 milhões em projetos rodoviário; e um investimento R$ 9,53 milhões no setor aeroviário.

Obras que fazem a diferença

Das obras realizadas pelo Governo do Estado, a maior de todos é a implantação e pavimentação da rodovia SC-108, que liga Jacinto Machado a Praia Grande. Além de desafogar o trânsito da BR-101, uma vez que ela inicia na divisa com o Paraná a vem até o Extremo Sul, a rodovia é primordial para a logística da região que têm potencial turístico, produção e arrecadação que comprovam e abonam o Estado a executar o trabalho.

O projeto, que está em fase de licitação, está orçado em R$ 73,5 milhões. No total, são 31,13 quilômetros de extensão e a empresa vencedora terá 24 meses para entregar a via.

Outras obras importantes para a Região Carbonífera estão em andamento. Uma delas, há muito aguardada, é a revitalização da Rodovia Jorge Lacerda, que faz ligação entre Criciúma e a BR-101, além de ser um importante acesso para o município de Forquilhinha. O trecho compreende 8,3 quilômetros entre a rodovia federal e a rótula de intersecção com a Rodovia Gabriel Arns.

A empresa JR Construções e Terraplanagem foi a vencedora do processo licitatório para a execução das obras, ao custo de R$ 15.748.423,18. A assinatura da ordem de serviço foi assinada em dezembro de 2020 e os trabalhos devem ser encerrados ainda neste ano.

Uma outra obra que deve ser finalizada ainda neste ano está na SC-390, a Serra do Rio do Rastro. Além do projeto executivo, o plano de trabalho de recuperação dos 25 pontos críticos contempla a intervenção ao longo da rodovia SC-390, com diferentes técnicas conforme a necessidade de cada ponto, e a retirada de blocos rochosos e outros materiais que estão soltos e depositados sobre os taludes.

O trabalho consiste em colocar telas metálicas de alta resistência com grampos, amenizando as constantes quedas de bloco e movimentação de massa que ocorre nos locais. A rodovia faz a ligação do Sul com o Planalto Serrano, entre as cidades de Lauro Müller com Bom Jardim da Serra, criando toda rota de escoamento do local.

As obras são executadas pela empresa Teixeira Duarte, ao custo de R$ 19.084.771,54. A previsão de término é outubro.

Outro trabalho que deve começar em breve está na SC-442, no trecho Cocal do Sul e Morro da Fumaça, no Distrito de Estação Cocal. O consórcio Setep – Iguatemi vai executar as obras que custarão R$ 8,4 milhões, com um prazo de 360 dias para a entrega.

A importância dos convênios

Os valores para os convênios entre o Governo do Estado e os municípios também aumentaram. São R$ 288,8 milhões para reforçar a infraestrutura da região.

Foi assim, que a pavimentação da rodovia Jacob Westrup, entre Forquilhinha e Maracajá, finalmente está saindo do papel. Dois convênios foram assinados: um, de R$ 9,3 milhões, com a Prefeitura de Forquilhinha, e outro, de R$ 4 milhões, com a de Maracajá. As administrações municipais ficaram responsáveis pela obra e os valores são correspondentes ao trecho da rodovia situado em cada município.

A demanda tem mais 30 anos e trará como benefício uma rota mais curta para escoamento da safra principalmente do arroz, para a BR-101. No total, são 8,25 quilômetros novos – 5,75 no trecho de Maracajá, que é executado pela JR, e outros 2,5 em Maracajá, onde a empresa Vizani realiza a obra.

Em Içara, a Rodovia dos Trilhos terá 6,7 quilômetros e ligará dois extremos da cidade, iniciando no Anel Viário, passando pelo Centro até seu fim, na BR-101. A obra é realizada por meio de convênio com o município.

A empresa Confer venceu a licitação, no valor de R$ 8 milhões, e já foi assinada a Ordem de Serviço. Estão sendo feitos serviços de alargamento, terraplanagem e drenagens iniciais.

E no Extremo Sul, a construção da ponte sobre o Rio Araranguá, na comunidade de Hercílio Luz, vai ligar Morro dos Conventos e Balneário Ilhas, onde a travessia, atualmente depende de balsa. A obra inclui os acessos Sul e Norte.

O Governo do Estado disponibilizará R$ 15,8 milhões, por meio de convênio entre a SIE e a Prefeitura da Araranguá. O investimento faz parte do Programa Novos Rumos. O valor da contrapartida do município é de aproximadamente R$ 2,7 milhões.

O convênio contemplará a execução da ponte em concreto armado com extensão total de 249,94 metros, 6 metros de altura (no ponto mais alto) e 10,80 metros de largura, sendo duas pistas de rolamento com quatro metros cada e passeio de aproximadamente dois metros, somente de um dos lados da ponte, e duas barreiras com 40 centímetros cada.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.