Maracajá em luto após a morte de Ademir de Oliveira

Ex-vice-prefeito estava internado em Criciúma com câncer

Foto: Arquivo Pessoal
- PUBLICIDADE -

Maracajá

Um dia após o final do mandato, na madrugada desta sexta-feira (2), veio a óbito no Hospital São José, em Criciúma, onde estava internado, o ex vice-prefeito de Maracajá, Ademir Antenor de Oliveira (PP).

- PUBLICIDADE -

Ademir, que lutava há meses contra um câncer, parece que só esperou as posses para partir para a eternidade.

Uma das lideranças mais expressivas do Progressistas, Oliveira, cumpriu até o final seu mandato como vice-prefeito, que se encerrou em 31/12/2020.

Ele, mesmo em meio à luta entre uma quimioterapia e outra, foi um dos incentivadores da campanha do enteado, o vereador eleito Diran Martins (PP), a quem também aconselhou a se filiar no mesmo partido em que ele fez história.

Família e empresa

Ademir, que havia completado 63 anos em 23/10/2020, tinha como irmãos, pela ordem decrescente de idade era o segundo filho. Pela ordem, os irmãos Oliveira são Antônio Carlos, o Cacaio (ex-prefeito de Maracajá); depois Ademir; Maria de Fátima (falecida); Altair Antenor; Altanoir Antenor; Adriano e Nicéia Isabel.

Empresário, com empresa às margens da BR-101, em Maracajá, ele tinha loja no Calçadão de Araranguá. É sobrinho do empresário de Araranguá Édio de Oliveira.

De acordo com familiares, Ademir lutou bravamente contra um agressivo câncer no pulmão, e que consequentemente havia se alastrado para a região da cabeça.

Deixa ainda os filhos, Jean Marcel de Oliveira e Renan de Oliveira, e três netos, Ana, Beatriz e Arthur.

Era casado com Elenice Martins, mãe do vereador Kelvin Diran Drewke.

Carreira política de sucesso

Ademir de Oliveira é filho de Antenor Apolinário de Oliveira, que foi prefeito de janeiro e 1977 a dezembro de 1982, quando os mandatos eram ainda de 6 anos. Seu irmão mais velho, Cacaio, foi prefeito eleito e reeleito com Anibal Brambila (PSD), atual prefeito, como seu vice.

Foi vice-prefeito duas vezes na gestão de Antenor Rocha, o Tata (PP), de 01/01/1997 a 31/12/2004. Vereador de 01/01/2013 a 31/12/2016.

Foi o vice-prefeito pela terceira vez na gestão de Arlindo Rocha, o Lale (sem partido), de 01/01/2017 a 31/12/2020.

Lale, quando decidiu não ser candidato à reeleição, insistiu para que Ademir fosse candidato a sua sucessão, mas, como em outras oportunidades, declinou, porque sempre dizia que queria contribuir com o município, ajudar Maracajá a se desenvolver, mas que tinha que cuidar de seus negócios e achava incompatível. Nunca teve esta vaidade de querer seguir o caminho do pai e do irmão.

De sorriso fácil, fala mansa, conciliador nos bastidores, Ademir Oliveira, irá com certeza fazer falta nas articulações políticas de Maracajá. Uma perda para o PP regional.

Com informações do Portal Post TV

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.