Impeachment: setor empresarial pede celeridade no julgamento de Moisés

O grupo pede ainda que não haja mudanças significativas na gestão do governo do Estado enquanto não houver a decisão final do tribunal misto de desembargadores e deputados

Foto: Murici Balbinot
- PUBLICIDADE -

O Conselho das Federações Empresariais de SC (Cofem) emitiu nota nesta segunda-feira (12) em que pede agilidade no julgamento do processo de impeachment do governador afastado Carlos Moisés da Silva. O texto foi publicado após o presidente do Tribunal do Impeachment e do Tribunal de Justiça de SC (TJSC), desembargador Ricardo Roesler, conceder novo prazo aos denunciantes e ao denunciado, o que frustrou a possibilidade de julgamento imediato.

Os empresários argumentam que um julgamento acelerado garante a segurança jurídica e institucional em Santa Catarina e que buscam preservar a estabilidade. O grupo pede ainda que não haja mudanças significativas na gestão do governo do Estado enquanto não houver a decisão final do tribunal misto de desembargadores e deputados. Até aqui, a governadora interina Daniela Reinehr já oficializou a troca em seis secretarias, entre elas Infraestrutura, Casa Civil e Saúde.

- PUBLICIDADE -

Veja a nota na íntegra:

O Conselho das Federações Empresariais de Santa Catarina (Cofem) defende a celeridade no processo de julgamento de impeachment do governador Carlos Moisés, em nome da segurança jurídica e institucional em Santa Catarina. No mesmo sentido, buscando preservar a estabilidade, propõe que não ocorram alterações relevantes na estrutura de governo até que que haja a decisão definitiva sobre a questão do impedimento do governador.

O Cofem é composto pelas Federações das Indústrias (Fiesc), do Comércio (Fecomércio), da Agricultura (Faesc), dos Transportes (Fetrancesc), das Associações Empresariais (Facisc), das Câmaras de Dirigentes Lojistas (FCDL), das Micro e Pequenas Empresas (Fampesc), além do Sebrae/SC.

Via Rede Catarinense de Noticias 

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.